Política / Transparência

Explicações da Sesau desmontam suspeita de rombo na saúde municipal

A suspeita de um rombo de R$ 543 milhões no Fundo Municipal de Saúde foi desmontada após as explicações dadas pela equipe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) nesta sexta-feira (31), na Câmara de Campo Grande. Na ocasião, também foi apresentada a prestação de contas do quadrimestre. No começo do ano, a secretaria realizou […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 31/05/2019, às 13h22 - Atualizado às 13h28

Prestação foi realizada no plenarinho da Câmara (Foto: Nyelder Rodrigues)
Prestação foi realizada no plenarinho da Câmara (Foto: Nyelder Rodrigues) - Prestação foi realizada no plenarinho da Câmara (Foto: Nyelder Rodrigues)

A suspeita de um rombo de R$ 543 milhões no Fundo Municipal de Saúde foi desmontada após as explicações dadas pela equipe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) nesta sexta-feira (31), na Câmara de Campo Grande. Na ocasião, também foi apresentada a prestação de contas do quadrimestre.

No começo do ano, a secretaria realizou a prestação de contas consolidada do ano de 2018 à Câmara, porém, dias depois publicou nota explicativa onde havia, segundo o vereador Dr. Lívio, inconsistências que apontavam o rombo de meio bilhão.

Contudo, conforme o próprio vereador, endossado pelo secretário de Saúde, José Mauro Filho, e pelo coordenador-geral financeiro da pasta, Elias Reis de Souza, o que houve, de fato, foi uma falha de leitura do documento.

“No sistema do SUS [Sistema Único de Saúde], quando eu lanço o valor, eu excluo o repasse do município, pois ele constará no consolidado da prefeitura, complementando o do SUS”, conta Elias, negando que haja rombo. “Chamamos de déficit orçamentário para mostrar que se o município não ajudar, não vou sustentar a secretaria”, completa.

Já o secretário José Mauro completa que um relatório foi feito sobre a situação e encaminhado à Câmara com os esclarecimentos, sendo o questionamento arquivado. “Também enviamos para análise da Sefin (Secretaria Municipal de Finanças e Planejamento)”.

As explicações foram ouvidas pelos vereadores presentes – Lívio, Wilson Sami, João Cesar Mattogrosso, Cida do Amaral, Eduardo Cury, Eduardo Romero e Odilon de Oliveira – e membros do Conselho de Saúde presentes, que não apresentaram objeções ao informado.

Prestação de contas

Assim como as explicações, as prestações de contas também foram feitas sem objeções do público. Entre os diversos números apresentados, está, por exemplo, a dotação atualizada dos quatro primeiros meses de 2019, que totaliza R$ 1,34 bilhão, enquanto o empenhado no período fica em R$ 942,4 milhões, com R$ 340,2 milhões já liquidados.

Jornal Midiamax