Política / Transparência

CPI da Energisa na Assembleia define Orro presidente e Contar como relator

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instaurada pela ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) para investigar reclamações de aumentos abusivos nas contas de energia elétrica definiu como presidente o deputado estadual Felipe Orro (PSDB), autor do segundo requerimento assinado por todos os deputados pedindo abertura da investigação. Já o deputado estadual Capitão ...

Danúbia Burema Publicado em 26/11/2019, às 17h35 - Atualizado em 27/11/2019, às 08h55

Primeira reunião da CPI ocorreu nesta terça-feira (26). (Divulgação)
Primeira reunião da CPI ocorreu nesta terça-feira (26). (Divulgação) - Primeira reunião da CPI ocorreu nesta terça-feira (26). (Divulgação)

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) instaurada pela ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) para investigar reclamações de aumentos abusivos nas contas de energia elétrica definiu como presidente o deputado estadual Felipe Orro (PSDB), autor do segundo requerimento assinado por todos os deputados pedindo abertura da investigação.

Já o deputado estadual Capitão Contar (PL), cujo requerimento gerou polêmica na Casa de Leis e não obteve a quantidade mínima de assinaturas, será o relator dos trabalhos. Nesta terça-feira (26), os deputados participaram da primeira reunião para tratar do assunto. Além de Orro e Contar, estiveram presentes os deputados José Carlos Barbosa (DEM), Marçal Filho (PSDB) e Renato Câmara (MDB), além de advogados da concessionária de energia elétrica.

No encontro, ficou definido que a comissão se reunirá toda quarta-feira a partir das 14h e na próxima semana será definida a pauta de trabalho. Segundo Orro, deverão ser solicitadas ao Procon cópias dos processos contra a Energisa abertos com base em reclamações de consumidores.

Também será solicitada pela CPI cópia do inquérito civil que tramita na Promotoria de Defesa do Consumidor de Campo Grande. “Vamos em momento oportuno convidar o promotor para uma reunião e ouvi-lo sobre o que está sendo investigado”, adiantou o deputado.

Aberta oficialmente no dia 12 de novembro, a CPI da Energisa foi alvo de polêmica na ALMS. Requerimento apresentado por Contar não conseguiu a quantidade mínima de assinaturas para iniciar a investigação. Deputados justificaram que o motivo era a ausência de fato determinado. Em meio à polêmica, que contou com crítica de deputado federal nas redes sociais, Orrro ifnormou ter encontrado o fato determinado e conseguiu a assinatura de todos os demais colegas.

Jornal Midiamax