Política / Transparência

Na CPI, donos dizem que ‘esqueceram’ valor pago por alvarás de táxi

Empresários têm vários alvarás

Evelin Cáceres Publicado em 12/07/2017, às 12h32

None

Empresários têm vários alvarás

Os empresários Marco Aurélio Ferreira e Vanilde Robert afirmaram em depoimento à CPI do Táxi desta quarta-feira (12) não se recordarem do valor pago para comprar a cedência de alvarás.

Ferreira disse ter dois alvarás e a esposa dele, outro. Ele teria comprado os dois em 2011 e que a esposa tem desde 1985 o dela. “Comprei o carro e as benfeitorias, mas não em lembro do valor”, relatou.Na CPI, donos dizem que 'esqueceram' valor pago por alvarás de táxi

Vanilde Roberto, que tinha depoimento marcado para sexta-feira (14) pediu para se antecipar e também relatou aos vereadores possuir dois alvarás. Ele disse ser taxista desde 1997 e ter adquirido o segundo em 1991. Atualmente, afirmou trabalhar com quatro curiangos. A filha, que teria um alvará no próprio nome, trabalha com o táxi.

Outros quatro não compareceram: Benevides Juliace Ponce, Gleicekermen Godoy Ponce, Maria Lourdes Dantas e Maria Helena Martins Panissa Startari e não encaminharam justificativas para as faltas. Benevides tem 14 alvarás.

CPI do Táxi

A comissão tem como objetivo para investigar as permissões de exploração do serviço e um possível ‘monopólio’ sob determinadas pessoas e famílias.

Conforme já apurou a CPI, instaurada há dois meses, dos 490 alvarás concedidos pelo poder público, 15,5% estão concentrados nas mãos pequeno grupo.

Jornal Midiamax