Política / Transparência

Detran-MS: alvos são investigados por corrupção, peculato e fraude em licitação

Agentes cumprem 12 mandados de prisão e 29 de busca e apreensão

Ludyney Moura Publicado em 29/08/2017, às 12h27

None

Agentes cumprem 12 mandados de prisão e 29 de busca e apreensão

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) deflagrou, na manhã desta terça-feira (29), a Operação Antivírus, e cumpre uma série de mandados na sede estadual do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito).

De acordo com a assessoria do MPE-MS (Ministério Público Estadual) os crimes investigados pela operação são de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação, lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa.Detran-MS: alvos são investigados por corrupção, peculato e fraude em licitação

Ao todo, os agentes do Gaeco cumprem nove mandados de prisão preventiva, três de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão. O alvo da Operação são os contratos de informática celebrados entre empresas e o Poder Público.

A Operação começou por volta das 7h da manhã, e os agentes fazem buscas nos Blocos 7, 9 e 13, onde funcionam o setor de tecnologia da informação, a presidência e a diretoria de administração e finanças, respectivamente.

As equipes requisitaram a presença dos diretores dos respectivos departamentos para acompanharem os trabalhos de busca e apreensão. Celso Braz, Diretor de Administração e Finanças, Donizete Aparecido da Silva, diretor-ajunto do Detran e Gerson Tomi, diretor do departamento de TI (Tecnologia da Informação), foram procurados em suas casas pelos agentes.

Cerca de duas horas após início dos trabalhos, o chefe da divisão de execução orçamentária, finanças e arrecadação do Detran, Erico Mendonça, deixou o local acompanhado por agentes do Gaeco.

O diretor-presidente do Detran, Gerson Claro (PSB), chegou por volta das 9h30 acompanhado por uma equipe do Gaeco e não deu entrevistas. 

Diversos servidores relataram a operação ao Jornal Midiamax antes mesmo da confirmação oficial por parte do MPE. Dezenas foram impedidos de adentrar ao local de trabalho, que é ocupado pelas equipes do Gaeco, que investigam uma série de acusações de crimes contra o patrimônio público.

O Jornal Midiamax, recentemente, publicou uma série de matérias com denúncias de irregularidades no setor de TI em alguns órgãos do governo estadual, entre eles o Detran. 

Jornal Midiamax