Política / Transparência

Defesa de Gerson Claro diz que MPE ignorou habeas corpus

Para advogado, não há fatos novos que justifiquem prisão

Midiamax Publicado em 07/12/2017, às 19h30

None

Para advogado, não há fatos novos que justifiquem prisão

A defesa de Gerson Claro apresentou uma petição para manter o ex-diretor-presidente do Detran-MS em liberdade.

De acordo com o advogado André Borges, um dos argumentos é de que o Ministério Público se omitiu ao habeas corpus que soltou Gerson Claro ao pedir uma nova prisão.

O outro é de que, segundo o advogado, não há fato novo para justificar a prisão do ex-diretor-presidente.

O Ministério Público pediu a prisão preventiva de Gerson Claro e nove pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema envolvendo contratos entre a antiga cúpula do Detran-MS e empresas de informática. Eles são acusados de participação em organização criminosa, peculato e lavagem de capitais, entre outros delitos.

Defesa de Gerson Claro diz que MPE ignorou habeas corpus

Assinado por quatro promotores de Justiça do Gaeco, o pedido foi feito com base na operação Antivírus, deflagrada no dia 29 de agosto deste ano. 

Jornal Midiamax