Política / Transparência

Contrato com empresa da tapa-buraco é acrescido e sobe para R$ 3,8 milhões

Vigência de contratação da Selco ainda foi prorrogada até 1º de janeiro

Joaquim Padilha Publicado em 06/09/2016, às 12h54

None
tapa-buraco.jpg

Vigência de contratação da Selco ainda foi prorrogada até 1º de janeiro

O contrato da Prefeitura Municipal de Campo Grande com a empresa Selco Engenharia Ltda, para a realização dos serviços de 'tapa-buraco' e fornecimento de CBUQ (concreto betuminoso usinado e quente), firmado logo no início da gestão do prefeito Alcides Bernal (PP), foi aditivado em cerca de 10% (R$ 349.988,49), e agora vale R$ 3,8 milhões em repasses.

A empresa contratualiza com a administração municipal de Campo Grande desde a gestão do ex-prefeito Nelsinho Trad (PDT). O contrato em específico, inicialmente de repasses de R$ 3,4 milhões, diz respeito aos serviços de tapa-buraco na região dos bairros Bela Vista, São Bento, Monte Líbano, Itanhangá e Vila Glória.

O contrato celebrado com a Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, de Transporte e Habitação) ainda será prorrogado por mais 180 dias, de acordo com um extrato divulgado nesta segunda-feira (5) no Diário Oficial de Campo Grande.

Selco

Em novembro de 2015, quando anunciou a retomada dos serviços da operação tapa-buraco, Bernal disse em coletiva que os trabalhos seriam realizadas pelas empresas Selco Engenharia, Pavitec, Wala e Diferencial, as mesmas que contratavam há anos com a administração municipal.

A Selco foi flagrado no início de 2015 tapando “buracos fantasmas”, durante a gestão do ex-prefeito Gilmar Olarte (PP). A época, a assessoria do ex-prefeito alegou que o reparo foi feito para fechar uma rachadura de forma preventiva, para que não fosse formado um buraco no local.

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax