Política / Transparência

Após vigilância sanitária, MPMS pede melhorias na Máxima para Agepen-MS

Comidas são armazenadas de maneira irregular

Evelin Cáceres Publicado em 04/05/2016, às 16h15

None
pmms.jpg

Comidas são armazenadas de maneira irregular

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) recomendou a Agepen-MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) e à direção do Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho desde o conserto da fiação até armazenamento correto de alimentos após uma inspeção da vigilância sanitária, segundo publicação do Diário Oficial do órgão desta quarta-feira (4).

Os problemas foram encontrados no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande e a promotora Jiskia Sandri Trentin, da 50ª Promotoria de Justiça, concedeu prazo de 30 dias para as adequações.

Entre elas, disponibilizar materiais de higiene pessoal para os internos, não ultrapassar a capacidade das celas, instalar iluminação na cela inspecionada e nas demais que não a possuírem, embutir fiações expostas e armazenar as refeições em condições adequadas de temperatura até a distribuição nas celas e que sejam transportadas da cozinha até as celas em caixas térmicas, para melhor conservação dos alimentos preparados.

Também foi feito pedido para que substituíssem a cadeira de rodas de um interno por outra em boas condições de acessibilidade, assim como melhorar as condições de acessibilidade de cadeirantes. 

Jornal Midiamax