Política / Transparência

Por R$ 155 milhões, 17 empreiteiras vão cuidar de estradas estaduais

LD Construções, investigada na Lama Asfáltica, é uma delas

Midiamax Publicado em 23/07/2015, às 12h44

None
rodovias_estaduais.jpg

LD Construções, investigada na Lama Asfáltica, é uma delas

O governo de Mato Grosso do Sul assinou um total de R$ 155 milhões em contratos com 17 empreiteiras que tocarão obras em rodovias estaduais. Entre as contratadas está a LD Construções, uma das investigadas na Operação Lama Asfáltica.

Segundo informações do secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, 13,6 mil quilômetros de vias receberão serviços de manutenção. Destes, 4,5 mil são pavimentados e 9,1 mil não pavimentados.

“São novas empresas, é um novo modelo de gestão, onde queremos ter um programa de manutenção mais eficiente”, disse o governador, que também se reuniu com diretores das 17 regionais da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos). As empreiteiras atuarão por região.

O governo divulgou que as empresas vencedoras das licitações foram: Usimix, para a região de Rio Negro; Construtora Vale Velho, região de Bela Vista; Sete Engenharia Eirelli, nas rodovias da regional de Camapuã; Pactual Construção, em Costa Rica; Gradual Engenharia e Consultoria, em Maracaju; C.G. 2000, região de Jardim; Juha Engenharia, em Amambai; GMB Engenharia, em Coxim; Terrasat Engenharia e Agrimensua Eirelli, na região de Nova Andradina; R. R. Ceni, Corumbá; Campoterra Construtora, Naviraí e Miranda; Avance Construtora Eirelli, em Paranaíba; Galassi Engenharia, Ponta Porã; Engenharia e Comércio Bandeirantes, Três Lagoas; LD Construções, região B de Dourados; H.L. Construtora, Dourados A e Transenge Engenharia, em Campo Grande.

Além dos novos contratos, o governo informa que iniciou processo de retomada de equipamentos cedidos. Segundo as informações oficiais, são 198 itens como motoniveladoras, pás-carregadeiras, caminhões, tratores e rolos compactadores, todos adquiridos na gestão anterior e estavam terceirizados para empresas, então contratadas para serviços de manutenção e construção de rodovias.

Miglioli diz que, por contrato, os equipamentos devem ser devolvidos em condições de uso. A partir disso, deverão ser montadas patrulhas nas regionais da Agesul para auxiliar os municípios na manutenção de estradas locais.

Jornal Midiamax