Política / Pimenta

Com peso de uma âncora, chefe irritado com isolamento prejudica pré-candidato a tiracolo

Exigência de proximidade já preocupa correligionários, que suspeitam de tática para afundar projeto

Da Redação Publicado em 22/06/2021, às 07h39

Chefe teria colado pré-candidato em agendas, para desespero de quem sonha com eleições de 2022 em MS
Chefe teria colado pré-candidato em agendas, para desespero de quem sonha com eleições de 2022 em MS - Ilustração sobre Reprodução (Web)

Supostamente revoltado com rumores fortes de isolamento no próprio ninho, chefe teria exigido proximidade pública com pré-candidato, para desespero do grupo que sonha com as eleições de 2022. Com a popularidade lá embaixo, cheio de medidas impopulares e implicado em inúmeros rolos judiciais, sujeito teria o peso e efeito de uma âncora para qualquer candidatura que precisa decolar nas pesquisas prévias.

Assim, correligionários mais próximos do pré-candidato até suspeitam das intenções que a repentina necessidade de exposição pública pode esconder. Temor de que seja uma tática para boicotar o projeto, afundando as chances depois de enrolar o grupo por um tempo tem sido amplamento discutido.

Além disso, de quebra a pré-candidatura ainda pode ganhar estreia na Justiça Eleitoral com denúncias de eventual propaganda antecipada, abuso de poder econômico, etc.

E, para completar, conversas entre lideranças partidárias e pré-candidatos que brigam por um pedaço do bolo eleitoral, preparando caminho para os tradicionais acertos de campanha, deixam os mais experientes ainda mais desconfiados de que um jaguané está no forno.

Jornal Midiamax