Política / Justiça

Após polêmica, nova audiência com pais de estudantes é adiada

Audiencia que iria acontecer na sexta-feira ainda não tem data certa para acontecer.

Midiamax Publicado em 05/06/2017, às 19h00

None

Audiencia que iria acontecer na sexta-feira ainda não tem data certa para acontecer.

Depois da polêmica audiência pública realizada no Estádio Douradão na noite de 25 de maio para discutir a violência e a evasão escolar, o Ministério Público Estadual decidiu adiar a segunda audiência que deveria acontecer na próxima sexta-feira, dia 9 de junho com os pais de alunos das escolas da Rede Estadual. A nova data ainda não foi definida.

 A primeira audiência de 25 de maio foi apenas com os pais dos alunos das escolas da Rede Municipal. Conforme informações repassadas pela 9ª Promotoria de Justiça de Dourados ao Jornal Midiamax a audiência do dia nove de junho não ocorrerá “pois a Secretaria de Estado de Educação, através da Coordenadoria Regional de Educação responsável pela organização enviou documento na semana passada à assessoria do Dr Sérgio Harfouche pedindo o adiamento, a fim de que tenha mais tempo para organizar e definir o local”.

Segundo a Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude a Secretaria de Educação informou também “que os diretores das escolas têm interesse no projeto, mas precisam de mais tempo para a organização”.

DESORGANIZAÇÃO

Na primeira audiência um público superior a lotação permitida compareceu ao Estádio Douradão resultando em tumulto no trânsito e muitos pais voltando para casa por falta de espaço para assistir a palestra do procurador de Justiça Sérgio Harfouche.

A audiência serviu para Harfouche apresentar o Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar (Proceve) e a desorganização do evento começou com a convocação feita pela Promotoria da Infância e da Juventude onde os pais sentiram-se coagidos a participar da audiência sob pena de pagar de três a vinte salários mínimos caso não comparecessem.

A falta de segurança no Douradão fez com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros entrassem em ação e orientassem a promotoria a realizar o encontro em duas datas diferentes já que está liberado um público de apenas 7900 pessoas.

Jornal Midiamax