Política

Senadora defende criminalização do lobby ilegítimo

Defendeu a pauta na CPI da Pandemia, que ouviu hoje o lobista da Precisa medicamentos

Diego Alves Publicado em 15/09/2021, às 19h59

Reprodução
Reprodução

A senadora Simone Tebet propôs regulamentar o lobby no Brasil para criminalizar a prática ilegítima. Simone defendeu esta pauta na CPI da Pandemia, que ouviu hoje o lobista da Precisa medicamentos, Marconny Albernaz Faria.

“Vamos encarar de frente, até para valorizar os lobbies legítimos. Para que a gente possa separar o joio do trigo e dizer, lobista ilegítimo, que visa corrupção, que visa levar dinheiro à custa da dor e da saudade de muitos, tem de estar na cadeia. Mas não estão porque não criminalizamos o lobby ilegítimo no Brasil”, disse. Simone Tebet lembrou que o tema era bandeira do então senador, Marco Maciel, que foi vice-presidente no governo de Fernando Henrique Cardoso. Ele apresentou o PLS 203/1989. O texto foi aprovado no Senado, mas ficou na gaveta na Câmara dos Deputados e acabou sendo arquivado.

Diante suspeitas envolvendo lobistas desvendadas pela CPI da Pandemia na aquisição de vacinas, a senadora resgata o assunto e sugere que o tema seja apresentado no relatório final do colegiado como projeto de lei. “O Senado, o Congresso e o País, precisam regulamentar essa figura do lobby”, defendeu, ressaltando que Marco Maciel viveu e morreu empunhando esta bandeira.

Para Simone, aprovar matéria neste sentido é fazer justiça à memória de Maciel, morto este ano, bem como à sociedade civil organizada. “Queremos os lobbies legítimos dos servidores públicos que nos abordam, dos empresários, comerciantes, ambientalistas, feministas, de quem pensa diferente de nós, porque isso é a beleza da democracia. Mas há o lobby corrupto, imoral, antiético que é o de atravessadores e intermediários que se aproveitam dos meandros do poder para se beneficiar com superfaturamento, corrupção, contratos escusos e ilegítimos”, disse.

Jornal Midiamax