Política

Se DEM não apoiar Bolsonaro, Tereza Cristina pode ir para o PP, diz senador

Movimentação sobre o pleito do ano que vem já começa

Mayara Bueno Publicado em 20/07/2021, às 09h55

Ministra Tereza Cristina ao lado de Bolsonaro em agenda no Estado; do lado esquerdo da foto, o senador Nelsinho Trad de máscara.
Ministra Tereza Cristina ao lado de Bolsonaro em agenda no Estado; do lado esquerdo da foto, o senador Nelsinho Trad de máscara. - (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax, Arquivo)

Se o DEM não apoiar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, pode ir para o PP, segundo o senador Nelsinho Trad (PSD). Presidente da sigla em Mato Grosso do Sul, o parlamentar comenta tratativas que já começaram, embora ainda não decisivas, sobre o pleito eleitoral do próximo ano.

Até então, o DEM esboçava caminho próximo ao presidente, mas já existe movimento dentro do partido para buscar alternativa à possível polarização entre Bolsonaro e o ex-presidente Lula (PT). O 'racha' é personificado no deputado Rodrigo Maia (RJ), que inclusive foi expulso da sigla, e no ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS), que deixou o cargo em abril de 2020, após divergências sobre a condução da pandemia de Covid-19.

A ministra foi procurada na manhã desta terça-feira (20), mas não atendeu a ligação ou respondeu. Pela assessoria, a resposta foi de que ela não vai comentar sobre o assunto no momento. Quanto ao PSD, o senador Nelsinho Trad afirmou que a legenda ainda não decidiu se apoiará o atual mandatário do País, ou se lançará uma 'terceira via'. Por enquanto, acrescenta, a direção aguarda votações da reforma e ajuste eleitoral que já começaram no Senado. 

"A regra do jogo é fundamental para podermos entrar no campo e disputar. [Depois] Vamos fazer um giro de outubro até dezembro, duas regiões em cada mês, para promover um seminário para explicar o rumo e como vai ser a legislação, já organizando as eleições de 2022".

Jornal Midiamax