Política

População de Paranhos vai votar para prefeito em 3 de outubro

Três candidatos disputam a preferência do eleitor

Marcelo Nantes Publicado em 13/09/2021, às 12h57

Eleições 2020 ainda não acabaram em Paranhos (MS)
Eleições 2020 ainda não acabaram em Paranhos (MS) - Arquivo

As eleições municipais de 2020 só vão acabar em Paranhos (MS) no próximo dia 3 de outubro. Os paranhenses vão voltar às urnas para escolher o novo prefeito quase um ano depois do restante do País. O atraso se dá porque o candidato eleito no ano passado, Heliomar Klabunde, não pôde tomar posse. O registro dele foi indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE/MS).

Desde então, a cidade é governada por um prefeito interino — o atual presidente da Câmara Municipal e candidato à prefeitura, Donizete Aparecido Viaro (MDB). Os outros dois candidatos são Alfredo Soares (PSDB) e Adelio (PT). 

Donizete Viaro já foi vice-prefeito e venceu quatro eleições para vereador. Alfredo Soares já foi vice-prefeito duas vezes. Adelio ainda não ocupou um cargo político no município. 

Perguntado sobre a principal proposta de governo, Viaro foi objetivo: “Nossa cidade precisa de emprego”, afirmou. Ele se considera favorito na disputa.  Já o adversário dele, Alfredo Soares e Adelio não foram localizados pela reportagem do Jornal Midiamax. 

Mas, a vereadora Elizabeth Brites (PSDB), eleita pelo mesmo partido de Soares, acredita que o favoritismo é dos tucanos. “Sete dos nove vereadores apoiam o nosso candidato”, garante Brites. 

Donizete e Elizabeth garantem que o clima na cidade é de tranquilidade. Paranhos está localizado no extremo-sul do Estado, a 469 quilômetros de Campo Grande. Conta com 14,4 mil habitantes e colégio eleitoral de aproximadamente 8 mil eleitores. A propaganda eleitoral no rádio e na TV começou no último sábado (11) e vai prosseguir até 30 de setembro. De acordo com o calendário do TRE/MS, a posse do candidato vencedor será em 23 de outubro.

Novas eleições em Sidrolândia

Os eleitores de Sidrolândia também votaram neste ano. A eleição suplementar ocorreu em 13 de junho. Vanda Camilo (PP) e Rosi Fiuza (MDB) foram eleitas prefeita e vice-prefeita, respectivamente.

Em março, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou novas eleições depois de negar recurso ao candidato Daltro Fiuza (MDB), na época o mais votado à prefeitura De acordo com o Ministério Público Eleitoral (MPE), em um mandato anterior como prefeito de Sidrolândia, Fiuza teve as contas relativas ao exercício de 2008 desaprovadas, tanto pela Câmara de Vereadores municipal quanto pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS). 

Jornal Midiamax