Política

Para frear coronavírus, Câmara fecha portas fora dos dias de sessão

A Câmara Municipal de Campo Grande iniciou a semana sem expediente presencial. A medida integra uma série de restrições definidas pela presidência da Casa, para frear o contágio do novo coronavírus. Às segundas, quartas e sextas feiras todo o efetivo cumpre home office, inclusive os vereadores. Já nos dias das sessões, terças e quintas, somente […]

Danúbia Burema Publicado em 15/03/2021, às 09h17

Câmara dos Vereadores de Campo Grande | Foto: Divulgação | CMCG
Câmara dos Vereadores de Campo Grande | Foto: Divulgação | CMCG - Câmara dos Vereadores de Campo Grande | Foto: Divulgação | CMCG

A Câmara Municipal de Campo Grande iniciou a semana sem expediente presencial. A medida integra uma série de restrições definidas pela presidência da Casa, para frear o contágio do novo coronavírus.

Às segundas, quartas e sextas feiras todo o efetivo cumpre home office, inclusive os vereadores. Já nos dias das sessões, terças e quintas, somente dois servidores por gabinete podem ir ao prédio.

Vereadores optaram também pela retirada da palavra livre como forma de reduzir o tempo das sessões. A decisão foi tomada após reunião na sexta-feira (12).

O presidente da Câmara, vereador Carlão (PSB), já havia avisado que se elas seguissem por período tão estendido como vinha ocorrendo, precisariam ser substituídas pela versão remota. 

Com a medida, permanecem as votações às terças e quintas. Mas, nesses dias, cada vereador poderá contar apenas com dois servidores para auxiliá-los presencialmente. O restante da equipe permanece no home office.

Segue vedada a presença de público, com transmissão das votações pelas redes sociais.

Restrições

Ato da Mesa Diretora publicado na sexta-feira (12) instituiu revezamento de servidores. Também foi limitado o número de atendimentos feitos na Casa, a apenas três pessoas por gabinete.

As normas já haviam sido anunciadas pelo presidente, vereador Carlão (PSB), e constaram na edição do Diário Oficial do Legislativo.

Pelo ato n.º 163/2021, o expediente passa a ser das 8h ao meio-dia “com frequência de 50% do quantitativo de servidores e estagiários, em revezamento”.

A definição da escala será feita pelos diretores de departamentos ou pelos vereadores. Quem não estiver no trabalho presencial, deverá permanecer em teletrabalho.

O ato também limita o atendimento ao público. “Em geral fica limitado ao quantitativo de até 03 (três) pessoas por gabinete ou setor administrativo”, diz o texto publicado.

Permanecem as determinações de não aglomeração, distanciamento social e uso obrigatório de máscara de proteção facial em todos os ambientes e dependências da Casa.

As medidas entraram em vigor com data retroativa à quinta-feira (11) e seguem pelos próximos 15 dias.

Jornal Midiamax