Política

Para deputado federal, ‘fecha tudo’ em Campo Grande é boa ideia e não prejudica o comércio

Deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) avaliou de forma positiva a medida proposta pela prefeitura de Campo Grande.

Jones Mário Publicado em 18/03/2021, às 19h03

Deputado federal Dagoberto Nogueira, do PDT de MS (Foto: Reprodução/Facebook)
Deputado federal Dagoberto Nogueira, do PDT de MS (Foto: Reprodução/Facebook) - Deputado federal Dagoberto Nogueira, do PDT de MS (Foto: Reprodução/Facebook)

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS) avaliou de forma positiva a antecipação de feriados em Campo Grande. Anunciada hoje (18) pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD), a medida para tentar conter a escalada de casos, mortes e ocupação de leitos pela covid-19 vai fechar serviços não essenciais por uma semana.

“Antecipar [feriados] ajuda, porque não prejudica muito o comércio lá na frente. As lojas que estarão fechadas lá na frente estarão trabalhando. Então, é uma compensação muito boa. Boa ideia”, justificou o deputado, que disputou a prefeitura de Campo Grande nas eleições de 2020.

A reportagem tentou contato com outros integrantes da bancada de Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional, entre deputados e senadores, que não responderam.

Após reunião com o secretariado na tarde de hoje (18), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) descartou implantar lockdown em Campo Grande. Em contrapartida, para frear o avanço da pandemia na cidade, determinou a antecipação de feriados na semana que vem.

De acordo com o prefeito, dos dias 22 a 26 de março, da próxima segunda até sexta-feira, serão antecipados os feriados dos dias 2 e 21 de abril, 3 de junho, 26 de agosto e 7 de setembro. Nestes dias, só poderão funcionar serviços essenciais durante 24 horas. Segundo Marquinhos, o comércio não essencial não poderá abrir.

Ainda de acordo com o prefeito, não foi decretado lockdown na cidade porque a avaliação é de que haverá diminuição do contágio ao restringir o horário de circulação das pessoas com a antecipação dos feriados.

São considerados serviços essenciais supermercados, farmácias e postos de combustíveis. O detalhamento sobre funcionamento de restaurantes e conveniências deve constar no novo decreto que a prefeitura de Campo Grande deve publicar até sexta-feira (19).

Jornal Midiamax