Política

Marun nega especulações sobre assumir cargo no governo Bolsonaro

Não poderia aceitar devido a compromissos atuais com clientes da área da advocacia

Diego Alves Publicado em 25/09/2021, às 18h48

Foto: Arquivo | Midiamax
Foto: Arquivo | Midiamax

O ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República e ex-deputado federal por Mato Grosso do Sul, Carlos Marun (MDB), negou rumores de que possa integrar o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), como um representante do ex-presidente Michel Temer (MDB). Informações indicavam que ele assumiria a chefia da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste).

O ex-ministro disse à reportagem neste sábado (25) que não houve convite e nem sondagens e, mesmo que houvesse, não poderia aceitar devido a compromissos atuais com clientes da área da advocacia, na qual está atuando. Em abril deste ano, Marun deixou o Conselho de Administração da Itaipu Binacional na qual fazia parte desde janeiro de 2019.

Em maio deste ano, Carlos Marun foi nomeado assessor de gabinete parlamentar na Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). Na época, Marun disse que foi convidado pelo presidente da Assembleia, Paulo Corrêa (PSDB), para trabalhar junto com o projeto da Rota Bioceânica. O ex-ministro enviou uma nota à reportagem:

Em relação a especulações surgidas que dão conta de meu ingresso no Governo, informo, ao tempo em que agradeço a lembrança, que não recebi qualquer convite ou sondagem e que se recebesse não poderia aceitar em função de compromissos assumidos com clientes na área da advocacia.

Carlos Marun
OAB/MS 8425

Jornal Midiamax