Política

Em reunião com Reinaldo, prefeitos de MS pedem aumento na fiscalização e veto a bebidas contra Covid-19

Gestores querem unificação de restrições para conter pandemia

Adriel Mattos Publicado em 08/06/2021, às 18h19

None
Foto: Edson Ribeiro

Prefeitos filiados à Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) se reuniram na tarde desta terça-feira (8) com o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), para pedir a adoção de medidas mais duras para minimizar o avanço da pandemia de Covid-19. O sistema público de saúde já passa por novo colapso, com a ocupação de leitos ultrapassando 100%.

O objetivo é unificar as restrições, já que cada município estabeleceu suas normas de biossegurança. Dourados, por exemplo, decretou lockdown e Nova Andradina impôs toque de recolher a partir das 16h.

Entre as sugestões, os gestores municipais pediram a proibição do consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas ou no comércio, liberando apenas a venda por delivery ou pegue-e-leve até o toque de recolher; redução de 50 para 40 pessoas o limite máximo de público em eventos e aumento do efetivo da PMMS (Polícia Militar) para fiscalizar os decretos restritivos.

Participaram da reunião o presidente da entidade, o prefeito de Nioaque Valdir Júnior (PSDB); o secretário de estado da Casa Civil, Sérgio de Paula; o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD); o secretário municipal de Governo da Capital, Antônio Lacerda; o prefeito de Rio Negro Cleidimar Camargo, o Buda do Lair (PSDB); o prefeito de Amambai, Edinaldo Bandeira (PSD); a prefeita de Jardim, Clediane Matzenbacher (PSD); e o prefeito de Terenos, Henrique Budke (PSDB).

Jornal Midiamax