Política

Deputado quer CPI da vacinação para investigar recursos e ‘fura-filas’ em MS

João Henrique Catan pediu assinatura dos demais colegas para instaurar CPI na Alems

Renata Volpe Publicado em 15/06/2021, às 10h44

Deputado João Henrique Catan (PL) durante sessão remota desta terça-feira (15).
Deputado João Henrique Catan (PL) durante sessão remota desta terça-feira (15). - Reprodução

Para investigar se há fura-filas recebendo a vacinação contra a Covid-19 em Mato Grosso do Sul, e os recursos investidos nos imunizantes, o deputado estadual João Henrique Catan (PL), propôs instaurar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) durante a sessão remota nesta terça-feira (15).

Catan pediu aos colegas que têm interesse na investigação, assinarem o documento para instaurar a Comissão. “A população está confusa, já não entende mais como algumas pessoas conseguem ser imunizadas e outras não”, disse.

O deputado disse ainda que há laudos médicos questionáveis e duvidosos para passar na fila. “Pessoas sem que realmente tenham uma comorbidade, como a vacinação da xepa permitiu a vacinação de determinado grupo de pessoas, passando na frente de outras que precisam ser vacinadas”, questionou.

Catan alegou ainda, querer saber como o governo de Mato Grosso do Sul tem repassado a quantia de recursos para vacinar as pessoas. “Convido a me acompanhar num pedido de CPI agora para saber quem está sendo vacinado, como está sendo aplicado o recurso repassado para garantir a vida e saúde das pessoas”. 

De acordo com o regimento interno da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), para instaurar a CPI, é preciso a assinatura de oito deputados. Também é preciso um fato determinado o acontecimento de relevante interesse para a vida pública e a ordem constitucional, legal, econômica e social do Estado, que estiver devidamente caracterizado no requerimento de constituição da Comissão.

Jornal Midiamax