Política

Contra Reinaldo manter feriadão na pandemia, deputado diz que ‘não deveria nem existir Carnaval’

Deputado estadual Antônio Vaz (Republicanos) contestou a decisão do governo sul-mato-grossense de manter folga neste Carnaval.

Jones Mário Publicado em 04/02/2021, às 16h54 - Atualizado em 05/02/2021, às 08h18

: Wagner Guimarães/ALMS)
: Wagner Guimarães/ALMS) - : Wagner Guimarães/ALMS)

O deputado estadual Antônio Vaz (Republicanos) contestou a decisão do governo sul-mato-grossense de manter o ponto facultativo aos servidores neste Carnaval.

“Na minha opinião, não deveria nem existir [o ponto facultativo]. O Brasil precisa trabalhar, 14 milhões de desempregados. Não deveria nem existir Carnaval”, criticou o parlamentar.

Pedro Kemp é outro que se opõe à folga. “Sou contra o ponto facultativo para evitar aglomerações”, disse.

Em contraponto a Antônio Vaz e Kemp, o deputado estadual Evander Vendramini (PP) se manifestou a favor da manutenção do ponto facultativo. 

“Não vai ter, evidentemente, a festa, em função da pandemia, mas o feriado de Carnaval é uma tradição, o servidor tem o direito à folga. É legal, já existe e não tem porque mudar”, afirmou.

Ontem (3), o governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) comunicou que vai manter o ponto facultativo para os servidores estaduais durante o Carnaval. Assim, os 47 mil funcionários públicos poderão folgar entre os dias 15 e 17 deste mês, embora as tradicionais festas do período estejam canceladas em função da pandemia de covid-19.

A decisão vai de encontro ao que definiu a prefeitura de Campo Grande, que não vai decretar ponto facultativo no período. Além disso, contraria recomendação da própria SES (Secretaria de Estado de Saúde).

*atualizada às 18h40 para acréscimo de posicionamento do deputado Pedro Kemp.

Jornal Midiamax