Política

Quase um mês depois, prefeito interino de Angélica se recupera da Covid-19 e recebe alta

Boquinha relatou que exames mostraram 98% dos pulmões comprometidos

Adriel Mattos Publicado em 18/04/2021, às 14h21 - Atualizado às 14h22

None
Reprodução/Facebook

O prefeito em exercício de Angélica, Geraldo Rodrigues, o Boquinha (PSDB), recebeu alta após quase um mês internado tratando da Covid-19. Ele estava internado em Ponta Porã e já retornou ao município do sul de Mato Grosso do Sul.

Em entrevista à Rádio Tropical no sábado (17), o tucano lembrou da evolução agressiva da doença causada pelo novo coronavírus. “No dia 24 [de março], acordei com dores, com um pouco de febre. E fui fazer o teste rápido, e já deu positivo. Fui ao hospital, me receitaram os medicamentos e fiquei em casa”, disse.

A falta de ar permanecia, assim como um mal-estar. Então, Boquinha decidiu ir a Ivinhema passar por nova avaliação médica. “Fiz um tomografia, que acusou 25% do pulmão comprometido. Voltei ao hospital e acabei internado. Na sequência, passou dois ou três dias, fiz outra tomografia, já 45% a 50% de comprometimento”, relatou.

Quando os pulmões atingiram 75% de comprometimento, a família levou Boquinha para Ponta Porã em 4 de abril, chegando a ficar intubado. “Foi aí que deu 98% de comprometimento”, frisou.

Seis dias depois, o prefeito foi extubado, mas permaneceu internado. Nesta semana, ele anunciou sua recuperação e que sua alta já estava marcada. Obrigado, população de Angélica, Ipezal e a todos que depositaram esperança, fé e orações para minha melhora”, escreveu na rede social Facebook.

Eleito presidente da Câmara Municipal em janeiro, ele assumiu a prefeitura devido à impossibilidade de João Cassuci (PDT), quevenceu o pleito de 2020, e está impedido de tomar posse enquanto tenta reverter a impugnação da candidatura na Justiça Eleitoral.

Jornal Midiamax