Política

Suplente vai ao TRE-MS contra diplomação de vereador eleito em Campo Grande

O suplente de vereador eleito Roberto Matheus (PDT) ingressou com recurso na 8ª Zona Eleitoral de Campo Grande contra a diplomação do colega Marcos Tabosa, do mesmo partido. A ação está sob a relatoria do juiz Paulo Afonso de Oliveira. Conforme os autos, a defesa de Matheus alega que Tabosa não se desincompatibilizou no prazo […]

Adriel Mattos Publicado em 20/12/2020, às 15h34 - Atualizado às 15h38

Marcos Tabosa (Arquivo, Jornal Midiamax)
Marcos Tabosa (Arquivo, Jornal Midiamax) - Marcos Tabosa (Arquivo, Jornal Midiamax)

O suplente de vereador eleito Roberto Matheus (PDT) ingressou com recurso na 8ª Zona Eleitoral de Campo Grande contra a diplomação do colega Marcos Tabosa, do mesmo partido. A ação está sob a relatoria do juiz Paulo Afonso de Oliveira.

Conforme os autos, a defesa de Matheus alega que Tabosa não se desincompatibilizou no prazo legal da presidência do Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais), sustentando que não foi apresentada prova do afastamento, apenas da função de servidor público municipal.

O advogado prossegue destacando que o vereador eleito continuou se apresentando como presidente do Sisem e representante do Sindasp/MS (Sindicato dos Agentes de Segurança Patrimonial Públicos de Mato Grosso do Sul) mesmo durante a campanha eleitoral.

O magistrado, na última sexta-feira (18), deu três dias para Tabosa apresentar sua defesa. A reportagem do Jornal Midiamax não conseguiu contato com o vereador eleito para comentar o caso.

Jornal Midiamax