Política

Reinaldo prevê desabastecimento se indústrias de alimentos suspenderam atividades

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que o Brasil corre o risco de desabastecimento alimentar caso as indústrias e fábricas de Mato Grosso do Sul suspendam suas atividades completamente, devido ao coronavírus. Reinaldo respondeu um trabalhador de frigorífico em Dourados, com 4 mil funcionários que não paralisou as atividades e nem tomou medidas de prevenção […]

Renata Volpe Publicado em 23/03/2020, às 12h33

Governador Reinaldo Azambuja. (Leonardo de França, Midiamax)
Governador Reinaldo Azambuja. (Leonardo de França, Midiamax) - Governador Reinaldo Azambuja. (Leonardo de França, Midiamax)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou que o Brasil corre o risco de desabastecimento alimentar caso as indústrias e fábricas de Mato Grosso do Sul suspendam suas atividades completamente, devido ao coronavírus.

Reinaldo respondeu um trabalhador de frigorífico em Dourados, com 4 mil funcionários que não paralisou as atividades e nem tomou medidas de prevenção aos funcionários, para evitar a disseminação do Covid-19. “Cada indústria tem a tratativa interna. Se pararmos tudo, vamos ter desabastecimento e vai ser um caos”.

O governador falou que o momento de pandemia é onde as pessoas precisam de alimentos. ‘Imagina não ter comida para pessoas doentes. As empresas precisam ter protocolo, o frigorífico vai ter protocolo sanitário de proteção a vocês”,

Segundo Azambuja, não dá pra paralisar as atividades econômicas, pois o Estado corre risco de desabastecimento. “Neste momento, os gestores públicos precisam ser responsáveis e evitar a contaminação com os protocolos necessários”

Kit merendas

A SED (Secretaria de Estado de Educação) e Sedhast (Secretaria de Direitos Humanos e Assistência Social), estão fazendo levantamento das famílias mais carentes para poder realizar a entrega do kit merenda, conforme Reinaldo. “Vamos disponibilizar o kit para não ter problema alimentar. Isso está sendo normatizado pela Sedhast e estamos analisando as famílias em situação de vulnerabilidade para serem atendidas também”.

Jornal Midiamax