Política

Pré-candidato à prefeitura em MS denuncia uso de dados de pai morto para auxílio emergencial

Após a publicação da reportagem divulgando os beneficiários que receberam o auxílio emergencial de R$ 600 em Nioaque, distante 187 quilômetros, o pré-candidato à Prefeitura do município se assustou ao ver o nome do pai listagem, que morreu há 1 ano. Segundo Wendell Medeiros e o atestado de óbito enviado por ele à reportagem, o […]

Ana Paula Chuva Publicado em 21/06/2020, às 12h37 - Atualizado em 14/07/2020, às 16h16

Reprodução, Agência Brasil
Reprodução, Agência Brasil - Reprodução, Agência Brasil

Após a publicação da reportagem divulgando os beneficiários que receberam o auxílio emergencial de R$ 600 em Nioaque, distante 187 quilômetros, o pré-candidato à Prefeitura do município se assustou ao ver o nome do pai listagem, que morreu há 1 ano.

Segundo Wendell Medeiros e o atestado de óbito enviado por ele à reportagem, o pai Eleonor Ramos Garcia de Medeiros, completou um ano de falecimento no último dia 8 de junho, por isso não poderia jamais ter solicitado o benefício.

“Ele faleceu dia 8 de junho de 2019, não poderia estar na lista de beneficiários, pois jamais requereu o benefício, por razões óbvias”, disse ao Jornal Midiamax.

Wendell afirmou ser pré-candidato à Prefeitura de Nioaque pelo PDT e desconfia que isso possa ter sido obra de politicagem, mas já tomou as providências cabíveis.

“Vou aprofundar a busca das informações sobre como o nome do meu pai foi parar nessa lista, se por erro da própria previdência ou se foi solicitado por alguém”, explica.

Além de político, Wendell é advogado e já procurou tanto a Delegacia de Polícia Civil, onde registrou um boletim de ocorrências, quanto a CGU (Controladoria-Geral da União) através do site Fala.BR.

Midiamax incentiva o Controle Social

O Jornal Midiamax incentiva em Mato Grosso do Sul o ‘controle social’, que é a participação ativa da população no combate à corrupção com denúncias sobre suspeitas e fraudes no pagamento do Auxílio Emergencial.

Assim, no Portal da Transparência, você pode comunicar oficialmente ao Ministério da Cidadania com a ferramenta Fala.BR. Ou pode ainda indicar se alguém recebe um benefício indevidamente pelo link “Fique de Olho!”.

Seu nome está na lista, mas não solicitou o auxílio? Veja o que fazer para resolver.

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax