Política

Justiça barra pesquisa eleitoral com bairros que nem existem em Maracaju

Uma pesquisa eleitoral sobre a intenção de votos em Maracaju, cidade distante 162 km de Campo Grande, foi barrada na Justiça porque continha informações erradas sobre o município. A empresa terá dois dias para se explicar em juízo sobre as informações da pesquisa. Conforme decisão do juiz Marco Antônio Montagna Morais, da 16ª Zona Eleitoral […]

Fábio Oruê Publicado em 27/10/2020, às 18h55

Prefeitura de Maracaju | Reprodução
Prefeitura de Maracaju | Reprodução - Prefeitura de Maracaju | Reprodução

Uma pesquisa eleitoral sobre a intenção de votos em Maracaju, cidade distante 162 km de Campo Grande, foi barrada na Justiça porque continha informações erradas sobre o município. A empresa terá dois dias para se explicar em juízo sobre as informações da pesquisa.

Conforme decisão do juiz Marco Antônio Montagna Morais, da 16ª Zona Eleitoral do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul),  a pesquisa, elaborada pela Gonçalves & Gonçalves Agência de Publicidade, utiliza bairros que não existem no município de Maracaju e bairros que não tem moradores.

O magistrado decidiu pelo impedimento da publicação da pesquisa, que seria nesta terça-feira (27), por todos os meios de comunicação jornais impressos e eletrônicos, folhetos, mídias sociais e grupos de WhatsApp.

Além disso, a empresa responsável terá que enviar as informações referentes ao sistema interno de controle, verificação, fiscalização da coleta de dados de todo e qualquer material usado na realização da pesquisa, no prazo de dois dias, e também a defesa.

Após esse prazo, o Ministério Público Eleitoral deverá emitir um parecer.

Jornal Midiamax