Política

Entre histórico, cargos na política e estreia nas eleições, 9 candidatos de MS têm menos de 30 anos

Inspirados pelo apelo de renovação ou desejo de transformar as cidades em que vivem, 9 candidatos que vão disputar prefeituras de Mato Grosso do Sul nas eleições 2020 fogem um pouco do estereótipo de candidatos geralmente mais velhos. Os mais jovens têm entre 24 e 30 anos, alguns deles, inclusive, já são vereadores e vice-prefeito. […]

Mayara Bueno Publicado em 10/10/2020, às 08h10 - Atualizado em 11/10/2020, às 07h43

Candidatos Daiton, Gabriel Boccia, Gabriel David, Lucas, Thalles, Thomaz, Rodrigo, Marianna, e José Natan. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax).
Candidatos Daiton, Gabriel Boccia, Gabriel David, Lucas, Thalles, Thomaz, Rodrigo, Marianna, e José Natan. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax). - Candidatos Daiton, Gabriel Boccia, Gabriel David, Lucas, Thalles, Thomaz, Rodrigo, Marianna, e José Natan. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax).

Inspirados pelo apelo de renovação ou desejo de transformar as cidades em que vivem, 9 candidatos que vão disputar prefeituras de Mato Grosso do Sul nas eleições 2020 fogem um pouco do estereótipo de candidatos geralmente mais velhos. Os mais jovens têm entre 24 e 30 anos, alguns deles, inclusive, já são vereadores e vice-prefeito. Mas também têm aqueles que disputam pela primeira vez.

O mais novo é de Guia Lopes da Laguna, Daiton Zanata dos Santos, do PSB. Em seu registro na Justiça Eleitoral, se apresenta como produtor agropecuário e natural de Jardim, mas vai disputar no município vizinho. Thomaz Abdonor tem 25 anos e é advogado. Se comparar com quando disputou e ganhou a primeira eleição, a idade atual não espantaria tanto. Com 21 anos, o candidato a prefeito foi o mais votado no pleito eleitoral para Câmara Municipal de Rochedo, em 2016.

Ele afirma não ter família na política, e a vontade de desenvolver o município de aproximadamente 5.079 pessoas foi o que o motivou desde o início. “Quero trazer mais emprego e renda, preciso fomentar o turismo, dar mais oportunidades para a população”.

Em Rio Brilhante, Lucas Centenaro Foron enfrentará as urnas pela primeira vez. Nas fotos disponibilizadas na Justiça Eleitoral e em suas redes sociais, o candidato aparenta ter até menos que os 25 anos informados, mas é agrônomo e vai para disputa pelo MDB.

Empresária, Marianna de Lima Barbosa tem 27 anos e vai disputar a Prefeitura de Figueirão pelo MDB. Na declaração de bens, ela aparece com participação em um supermercado naquela cidade. No caso dela, o histórico familiar também a inspirou para entrar na política, além do “desejo de mudança”, afirma a candidata que tenta cargo eletivo pela primeira vez.

“Sou apaixonada pela política. É uma coisa boa quando se faz do jeito certo. Os jovens são o futuro, eu tenho muitos ideais e sonhos, que são combustível para correr atrás”. Ela é filha do ex-prefeito Getúlio Barboza, reeleito em 2012, mas cassado no ano seguinte.

No grupo dos novos, Gabriel David (Podemos) tem 26 anos e está na lista de candidatos a prefeito de Juti. No perfil do Facebook, ele informa formação em Direito.

Com 28 anos, Gabriel Boccia (Avante) concorre à Prefeitura de Bela Vista. Sua carreira política começou mais cedo ainda, já que atualmente o candidato é vice-prefeito da cidade em mandato que termina no fim deste ano.

“Eu sou apaixonado pela cidade que nasci, tenho um grande sonho de vida que é transformar Bela Vista na cidade linda e próspera que imagino em meu coração”, afirmou. Para ele, cuja família não tem ligação com a política, a ausência de liderança também o motivou a buscar o Executivo de seu município.

Ele é formado em Direito e tem especialização em captação de recursos federais. Em seu site, o postulante cita ter rompido com o atual prefeito de Bela Vista, por causa “da quebra de confiança em relação à boa governança”.

Também graduado em Direito, Rodrigo Centurião estreia em processos eleitorais e quer ser prefeito de Jaraguari. Tem 28 anos e afirmou que buscou independência para formação da chapa do Cidadania.  “Somos o único partido que não lançou candidatos a vereador e temos a menor rejeição. Toda nossa forma de política é sem acordo, sem conchavo, sendo coerentes e, fazendo desde o início, uma política pautada no coletivo”.

Vereador de Aparecida do Taboado, José Natan tem 29 anos e é do PSL. Em 2016, foi o segundo parlamentar mais votado e, apesar de poucos, tem familiares que já se arriscaram no meio político também. “Um tio meu foi vereador na década de 80, um primo tentou há duas eleições, mas não conseguiu, depois família não mexeu com politica”.

Crença na mudança “de verdade” é o que ele cita como impulso para disputar sua segunda eleição, desta vez no cargo do Executivo. Afirma que Aparecida do Taboado possui grupos já conhecidos “da velha política”. “Estamos indo na contramão, em busca de renovação”.

A reportagem acionou os 9 candidatos, mas nem todos responderam. Dados e mais informações sobre eles podem ser conferidos no DivulgaCand (Divulgação de Candidaturas), disponibilizado pela Justiça Eleitoral.

Jornal Midiamax