Política

Para ministro da Saúde, divergência no PSL não atrapalha gestão: ‘assunto interno’

Apesar do clima hostil entre os integrantes do PSL ganhar as manchetes e demonstrar problemas envolvendo não só a política partidária, mas também a gestão governamental do país, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), comentou que a situação não atrapalha em nada o trabalho do ministério. “É um assunto interno de política, o […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 20/10/2019, às 16h56 - Atualizado em 21/10/2019, às 06h19

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. (Leonardo de França/Midiamax)
Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. (Leonardo de França/Midiamax) - Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. (Leonardo de França/Midiamax)

Apesar do clima hostil entre os integrantes do PSL ganhar as manchetes e demonstrar problemas envolvendo não só a política partidária, mas também a gestão governamental do país, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), comentou que a situação não atrapalha em nada o trabalho do ministério.

“É um assunto interno de política, o ministério trabalha normalmente”, frisa Mandetta, que na sexta-feira (18) veio a Campo Grande para inaugurar a nova sede da Casa da Saúde, localizada na rua 11 de Outubro, 220, bairro Cabreúva.

Já quando questionado se a disputa interna do PSL pode ter influenciado em recente boato de que ele estaria em desgaste com o Governo e poderia ser substituído, Mandetta desconversou e apenas disse que “isso aí, não”.

Pouco antes, no palanque, o ministro saiu em defesa da forma de trabalhar do ministro Jair Bolsonaro (PSL). “Ele te dá condições e diz, não nomeio ninguém, mas se for mal sai. Papo reto, bom de trabalhar”, dispara Mandetta.

O ministro também visitou no mesmo dia, antes de chegar à Capital, Bonito e Dourados. Na segunda maior cidade do interior do Estado, Mandetta anunciou investimento de R$ 26,7 milhões na saúde local, enquanto que em Bonito ele participou do Congresso Brasileiro de Enfermagem Pediátrica.

Jornal Midiamax