Política

Em MS, 36 mil podem ter título cancelado por não votar em 3 eleições

Mais de 36 mil eleitores podem ter os títulos cancelados após não terem votado e nem justificado a ausência nas três últimas eleições. Os dados são do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) e o prazo de regularização dos documentos para evitar o cancelamento vai até o dia 6 de maio. Somente […]

Danúbia Burema Publicado em 02/04/2019, às 17h42 - Atualizado às 17h47

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)
Em MS, 36 mil podem ter título cancelado por não votar em 3 eleições
Eleitor que não compareceu às urnas nem justificou precisa procurar cartório eleitoral. Foto. Arquivo.

Mais de 36 mil eleitores podem ter os títulos cancelados após não terem votado e nem justificado a ausência nas três últimas eleições. Os dados são do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) e o prazo de regularização dos documentos para evitar o cancelamento vai até o dia 6 de maio.

Somente em Campo Grande são 2.741 títulos sob o risco de serem invalidados. Outros 33.279 pertencem a eleitores dos 78 municípios do interior do Estado.

Para ficar em dia com a Justiça Eleitoral, é necessário comparecer a um cartório eleitoral portando um documento oficial com foto (RG, CNH), comprovante de residência e título de eleitor. É cobrada multa de R$ 3,50 por eleição. Quem não regularizar a situação e tiver o título cancelado fica sujeito a uma série de impedimentos, como o de emitir passaporte e tomar posse em concursos públicos.

Suplementares

Eleitores dos municípios de Tacuru e Caarapó podem ter os títulos suspensos com maior facilidade. Isso porque os municípios tiveram eleições suplementares em 2017 e 2018, respectivamente, obrigando no caso de Caarapó o eleitor a ir às urnas três vezes no mesmo ano. Assim, quem não compareceu na votação suplementar e aos dois turnos da eleição estadual poderá, em um só ano, ter acumulado as três ausências que acarretam cancelamento do título.

No caso de pleitos que tiveram segundo turno, a contagem é feita pelo TRE como sendo duas eleições.

Assim, em Campo Grande quem não votou no segundo turno de 2016 e nos dois turnos do ano passado precisa regularizar a situação para não ter o título suspenso. Já nos demais municípios, a suspensão ocorrerá para quem não votou no primeiro turno de 2016 e nos dois turnos de 2018.

Jornal Midiamax