Política

De olho em bilhões dos russos para Três Lagoas, Chaves se reúne com ministro do STF

Com pouco mais de 80% concluída e com expectativa de investimentos na ordem de R$ 5 bilhões, a UFN-3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobras) ainda espera aval do STF (Supremo Tribunal Federal) para ser negociada com um grande grupo empresarial russo, e por isso o governo de Mato Grosso do Sul acompanha de perto […]

Ludyney Moura Publicado em 28/03/2019, às 09h21

Chaves disse que ministro se comprometeu a analisar pleito de MS (Foto: Divulgação)
Chaves disse que ministro se comprometeu a analisar pleito de MS (Foto: Divulgação) - Chaves disse que ministro se comprometeu a analisar pleito de MS (Foto: Divulgação)

Com pouco mais de 80% concluída e com expectativa de investimentos na ordem de R$ 5 bilhões, a UFN-3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobras) ainda espera aval do STF (Supremo Tribunal Federal) para ser negociada com um grande grupo empresarial russo, e por isso o governo de Mato Grosso do Sul acompanha de perto o desenrolar da negociação.

“A reunião com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, sobre o processo licitatório de venda da indústria de fertilizantes UFN-3, em Três Lagoas, foi muito positiva para Mato Grosso do Sul”, revelou o agora secretário especial de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos do Governo de MS, Pedro Chaves.

A reunião aconteceu na tarde de ontem, quarta-feira (27), e contou com a participação dos procuradores Leonardo Campos Soares da Fonseca e da chefe da PGE (Procuradoria-Geral do Estado), Fabíola Marquetti.

“Saímos com o compromisso do ministro em analisar o processo que vai trazer R$ 5 bilhões em investimentos estrangeiros para o município e gerar empregos. Está é uma das minhas prioridades como secretário de Estado”, detalhou Chaves.

A Petrobras aguarda aval para negociar a UFN-3 com Acron, uma empresa Russa com foco na produção e comercialização de fertilizantes, com vendas em mais de 60 países. A expectativa é que a fábrica de Três Lagoas, uma vez concluída, tenha capacidade para produzir 3.600 toneladas/dia de ureia, 2.200 toneladas/dia de amônia e 290 toneladas/dia de gás carbônico.

Jornal Midiamax