Política

CPI tem de nascer forte se não vira propaganda política, diz Rocha ao Midiamax Entrevista

Situação corriqueira na Câmara Municipal de Campo Grande, a abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) tem de ser o último recurso, afirmou o presidente da Casa de Leis, vereador João Rocha (PSDB), durante o Midiamax Entrevista desta segunda-feira (dia 1º). A pergunta ao parlamentar foi sobre a CPI dos Ônibus, apresentada pelo vereador Vinicius […]

Mayara Bueno Publicado em 01/07/2019, às 13h18 - Atualizado às 17h13

Presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha PSDB), durante entrevista. (Foto: Thauanny Maíra/Midiamax).
Presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha PSDB), durante entrevista. (Foto: Thauanny Maíra/Midiamax). - Presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha PSDB), durante entrevista. (Foto: Thauanny Maíra/Midiamax).

Situação corriqueira na Câmara Municipal de Campo Grande, a abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) tem de ser o último recurso, afirmou o presidente da Casa de Leis, vereador João Rocha (PSDB), durante o Midiamax Entrevista desta segunda-feira (dia 1º).

A pergunta ao parlamentar foi sobre a CPI dos Ônibus, apresentada pelo vereador Vinicius Siqueira (DEM), na semana passada. Com metade dos votos necessários, a tentativa de investigar o contrato entre a Prefeitura de Campo Grande e o Consórcio Guaicurus, concessionária do transporte coletivo, deve ser arquivada.

“É corriqueiro, sempre que há um problema falam em CPI. Pelo meu entendimento, pela minha experiência no legislativo, a comissão tem de ser o último recurso, se não cai em descrédito. Quantas foram abertas para fazer propaganda política, aproveitando para vender para sociedade uma falsa ideia de que está sendo feito algo. O motivo [para abrir CPI] tem de ser concreto, para nascer forte”.

O resultado das CPIs sempre é encaminhado aos órgãos de controle, que decidem se dão andamento à investigação e a transformam em denúncia. “É uma ferramenta que não pode ser banalizada. Ninguém é proibido de abrir, mas tem que fazer com responsabilidade”.

Sobre os problemas que levaram Vinicius Siqueira a sugerir a CPI, João Rocha afirmou que a Agereg (Agência Municipal de Regulação) e Agetran (Agência Municipal de Transportre), além do próprio Consórcio Guaicurus, que detém o serviço, são os responsáveis por acompanhar e analisar as situações firmadas em contrato.

No caso dos ônibus parados próximos dos terminas, o presidente lembra que precise ser considerado se os veículos seriam necessários no horário em que estão parados ou se é melhor mantê-los parados para evitar gasto desnecessário.

Eleições 2020 – Cotado nos bastidores como possível candidato a vice-prefeito em composição com o prefeito Marquinhos Trad (PSD), na eleição do próximo ano, Rocha ponderou que qualquer entendimento depende da ‘convergência de projetos’ entre os dois partidos, mas lembrou que o chefe do Executivo municipal foi fundamental para reeleição do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

“Estamos discutindo. O PSDB tem quadros para compor uma boa chapa de vereadores e também perfis para candidatura próprias. É uma construção, acredito que estamos num bom caminho”, disse o parlamentar sem confirmar qual será o cargo disputado por ele em 2020. A entrevista completa pode ser conferida por aqui.

Jornal Midiamax