Política

Com tempo de TV, PL também quer concorrer Prefeitura de Campo Grande

O partido PL, antigo PR, vai ter candidato próprio a prefeito em Campo Grande, para disputa das eleições em 2020. O nome ainda não foi definido, mas a legenda acredita que com o tempo maior de propaganda eleitoral na TV e rádio, vai conseguir divulgar os candidatos tanto para a prefeitura, quanto para vereador.  De […]

Renata Volpe Publicado em 10/10/2019, às 09h52 - Atualizado às 12h46

Projeto é de autoria do deputado João Henrique Catan.(Luciana Nassar, ALMS)
Projeto é de autoria do deputado João Henrique Catan.(Luciana Nassar, ALMS) - Projeto é de autoria do deputado João Henrique Catan.(Luciana Nassar, ALMS)

O partido PL, antigo PR, vai ter candidato próprio a prefeito em Campo Grande, para disputa das eleições em 2020. O nome ainda não foi definido, mas a legenda acredita que com o tempo maior de propaganda eleitoral na TV e rádio, vai conseguir divulgar os candidatos tanto para a prefeitura, quanto para vereador. 

De acordo com o presidente municipal do PL na Capital, o deputado estadual João Henrique Catan, a ideia é lançar um nome para disputa e não apoiar candidato de outro partido. “Intenção é lançar candidato próprio, um novo nome. Não sei se sou eu, se o partido quiser me lançar, tenho vontade, acho interessante, mas estaria antecipando o que o partido vai decidir. Não queremos apoiar, queremos lançar um nome novo, eu já tenho cargo e mandato”.

O PL deve se reunir até o fim do ano, conforme Catan, para deliberar tanto sobre a escolha do candidato quanto a troca da presidência regional, ocupada atualmente por Filinto Gomes de Abreu, ex-diretor de normatização e fiscalização da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos). “Vamos ter uma troca no comando estadual, as lideranças do interior pedem uma convocação de reunião para isso. Para candidato, queremos gente nova sem vício que a população queira ver participando na política, com novas ideias, projetos, maneira diferente de fazer campanha”.

A ideia também é ter uma chapa forte de vereadores, mas sem expectativa de quantos políticos pretende eleger. “Qualquer um que falar agora [quantos pretende eleger] é mentira. Precisa ter a nossa reunião para definir esses parâmetros e o partido se fortalece se lançar candidato a prefeito”.

Sobre o tempo de propaganda maior na TV e no rádio, Catan explica que o PL tem 40 deputados federais. “O PL elegeu 34 deputados federais e o MDB elegeu 33. Hoje temos 40 e estamos maior que o DEM, PSDB, PSD. É um partido interessante para lançamento de novas lideranças inclusive na disputa para prefeitura”.

Jornal Midiamax