Política

Com apoio da bancada de MS, Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado

Com 42 votos, entre eles dos sul-mato-grossenses Nelsinho Trad (PSD), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL), o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito neste sábado (2), em primeiro turno, presidente do Senado. O principal opositor de Alcolumbre,  senador Renan Calheiros (MDB-AL), retirou a candidatura momentos antes. Senador de primeiro mandato, Alcolumbre teve uma atu...

Clayton Neves Publicado em 02/02/2019, às 18h07 - Atualizado em 03/02/2019, às 09h02

Foto: Divulgação / Assessoria
Foto: Divulgação / Assessoria - Foto: Divulgação / Assessoria

Com 42 votos, entre eles dos sul-mato-grossenses Nelsinho Trad (PSD), Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL), o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito neste sábado (2), em primeiro turno, presidente do Senado. O principal opositor de Alcolumbre,  senador Renan Calheiros (MDB-AL), retirou a candidatura momentos antes.

Senador de primeiro mandato, Alcolumbre teve uma atuação discreta nos primeiros quatro anos de mandato no Senado. Na disputa pelo comando da Casa, revelou-se um hábil articulador, congregando os adversários de Renan Calheiros e os aliados do governo federal.

O novo presidente contou com o apoio do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também filiado ao DEM.

Aos 41 anos, o senador estreou na política no início deste século. Foi vereador em Macapá, três vezes deputado federal e chegou ao Senado em 2015. Nas eleições de outubro passado, concorreu ao governo do Amapá e ficou em terceiro lugar.

É um dos mais jovens senadores a assumir a presidência da Casa.

Eleição

A eleição para a presidência do Senado foi marcada por um embate sobre se a votação seria aberta ou secreta. Ontem (1º), após cinco horas de sessão, a maioria dos parlamentares decidiu pelo voto aberto. Mas uma decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli determinou que a votação deveria ser secreta.

A eleição foi feita em cédulas e teve que ser realizada duas vezes, pois na primeira apuração foi encontrada uma cédula a mais na urna. Após ser suspensa ontem, a sessão começou hoje por vota das 12h.

Jornal Midiamax