Política

Câmara de Ladário cassa prefeito preso suspeito de comprar vereadores

A Câmara Municipal de Ladário cassou, em sessão nesta segunda-feira (1º), o mandato do prefeito Carlos Aníbal Ruso (PSDB), preso desde novembro do ano passado acusado de pagar mensalinho de R$ 3 mil em troca de apoio da Casa. Conforme informado pela Câmara, o placar foi de 9 votos pela cassação. A sessão durou cerca […]

Danúbia Burema Publicado em 01/04/2019, às 18h50 - Atualizado em 02/04/2019, às 08h40

Em Ladário, sete vereadores foram cassados por receber mensalinho do prefeito, um oitavo perdeu o mandato por compra de votos (Foto: Divulgação Câmara de Ladário)
Em Ladário, sete vereadores foram cassados por receber mensalinho do prefeito, um oitavo perdeu o mandato por compra de votos (Foto: Divulgação Câmara de Ladário) - Em Ladário, sete vereadores foram cassados por receber mensalinho do prefeito, um oitavo perdeu o mandato por compra de votos (Foto: Divulgação Câmara de Ladário)
Câmara de Ladário cassa prefeito preso suspeito de comprar vereadores
Em Ladário, sete vereadores foram presos acusados de receber mensalinho do prefeito. Foto. Divulgação Câmara

A Câmara Municipal de Ladário cassou, em sessão nesta segunda-feira (1º), o mandato do prefeito Carlos Aníbal Ruso (PSDB), preso desde novembro do ano passado acusado de pagar mensalinho de R$ 3 mil em troca de apoio da Casa.

Conforme informado pela Câmara, o placar foi de 9 votos pela cassação. A sessão durou cerca de 2h30 e além dos vereadores contou com a presença de cidadãos e do advogado de Defesa de Ruso.Os vereadores Fábio Peixoto (PTB) e Jonil Júnior (PMN) não participaram, sendo representados pelos seus suplentes.

A partir de terça-feira (2), começam a ser julgados os relatórios das comissões processantes dos sete vereadores presos acusados de envolvimento no esquema. O primeiro será Osvalmir Nunes da Silva (PSDB). O mandato de André Franco Caffaro (PPS) seria o próximo, mas liminar determinou que a apreciação do pedido de cassação dele seja feita posteriormente.

Segundo o advogado da Câmara e coordenador dos processos da comissão processante, George Albert Fuentes de Oliveira, os pedidos de cassação estão sendo analisados e concluídos em prazo inferior a três meses, prazo máximo previsto na legislação.

“Lembrando que é um processo político, isso não tem a ver com a ação cível nem criminal que eles estão respondendo. Aqui é um processo político de acordo com o Decreto-Lei 201/67, independe de ele ter condenação cível ou criminal”, destacou Fuentes.

Desde a prisão de Ruso, é o vice-prefeito Iranil Lima Soares (PSDB) quem assumiu a administração de Ladário.

Jornal Midiamax