Política

Blocos na Assembleia devem ficar sob liderança de Rinaldo, Londres e Fernandes

Sem um bloco definido de oposição, a segunda gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) deve ter caminho ainda mais harmônico com a Assembleia Legislativa. Na primeira semana de sessões ordinárias de 2019, os deputados ainda conversam para definições das comissões permanentes da Casa. “Estamos em um momento difícil e acredito que todos os deputados têm responsabilidade […]

Ludyney Moura Publicado em 06/02/2019, às 09h30 - Atualizado em 15/07/2020, às 04h16

(Fotos: Divulgação/Victor Chileno/ALMS)
(Fotos: Divulgação/Victor Chileno/ALMS) - (Fotos: Divulgação/Victor Chileno/ALMS)

Sem um bloco definido de oposição, a segunda gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) deve ter caminho ainda mais harmônico com a Assembleia Legislativa. Na primeira semana de sessões ordinárias de 2019, os deputados ainda conversam para definições das comissões permanentes da Casa.

“Estamos em um momento difícil e acredito que todos os deputados têm responsabilidade de não criar obstáculos em projetos que vem ao encontro dos interesses de Mato Grosso do Sul. O governo continua tendo maioria absoluta, e mesmo os dois deputados do PT nunca criaram problema com projetos importantes para o Estado”, afirmou o deputado Prof. Rinaldo Modesto (PSDB).

Rinaldo, que deve liderar a bancada do maior partido da Casa, revelou ainda que uma reunião, ainda na manhã desta quarta-feira (6) deve definir os indicados do PSDB para integrarem as comissões permanentes da Asembleia.

Além da bancada tucana, outros dois ‘grandes’ blocos partidários já foram definidos. Um deles, o do chamado G10 deve ficar sob a liderança do experiente deputado Londres Machado (PSD), e o outro, onde estão PT e MDB, com o emedebista Marcio Fernandes.

Blocos na Assembleia devem ficar sob liderança de Rinaldo, Londres e Fernandes
Aliados já colocam Rinaldo na liderança da maior bancada

O presidente da Assembleia, deputado Paulo Corrêa (PSDB) anunciou que as 16 comissões da Casa devem ser definidas até o final desta semana. Com a maior bancada, o PSDB terá direito de indicar um parlamentar por comissão. Apesar de uma possível disputa pelo comando da mais importante delas, a CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), Modesto acredita que haverá consenso na Casa.

“Todos os colegas estão com pensamento de buscar o que é melhor para nosso Estado”, finalizou Rinaldo.

Jornal Midiamax