Política

Rinaldo coloca liderança do PSDB na Assembleia de MS ‘à disposição’ após reunião com De Paula

Líder da bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Rinaldo Modesto colocou o posto ‘à disposição’ nesta quinta-feira (1º), retorno do recesso parlamentar, após se reunir com o presidente regional do partido e Secretário Especial de Articulação Política de Reinaldo Azambuja, Sérgio de Paula. “Coloco meu cargo à disposição dos deputados […]

Evelin Cáceres Publicado em 01/08/2019, às 11h44 - Atualizado em 02/08/2019, às 10h15

(Luciana Nassar, ALMS)
(Luciana Nassar, ALMS) - (Luciana Nassar, ALMS)

Líder da bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Rinaldo Modesto colocou o posto ‘à disposição’ nesta quinta-feira (1º), retorno do recesso parlamentar, após se reunir com o presidente regional do partido e Secretário Especial de Articulação Política de Reinaldo Azambuja, Sérgio de Paula.

“Coloco meu cargo à disposição dos deputados da bancada. Antes da votação eu expliquei que meu pré nome político é Professor. Fui professor convocado por muitos anos, assim como a minha irmã, a Rose Modesto foi, por 11 anos em Campo Grande. Minha mãe foi. Seria muito difícil eu votar diferente. Os membros do partido aqui na Assembleia devem definir se eu permaneço ou não”, declarou.

Apesar das evidências de racha político por conta da proximidade das eleições de 2020, com a declaração já neste ano do governador Reinaldo Azambuja por apoio pessoal ao prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD) apesar de ter no partido a deputada federal Rose Modesto, que foi adversária direta do prefeito nas eleições passadas, Rinaldo nega rusgas dentro da sigla.

“Foi tudo muito tranquilo. A reunião [de Sérgio de Paula] foi tranquila. Ele comunicou que a comissão vai avaliar eu ter votado contra. Pode ser que eu seja punido com uma advertência verbal, mas é isso. Estou em paz”.

Questionado sobre não ter ido à reunião na última segunda-feira da Comissão de Ética do partido, Rinaldo afirmou que estava viajando. Na ocasião, entretanto, disse que não teria recebido convite.

Marçal Filho (PSDB) minimizou a situação. “Não é que eu não fui convidado para a Comissão de Ética. Não posso fazer julgamento, tem que ver quem ficou responsável entre os membros da Executiva. Continuo acreditando que o PSDB é um partido democrático. Não conversei com Sérgio de Paula e ele não ligou para mim depois da votação, mas não tem nenhuma possibilidade de eu deixar o partido”, declarou.

Jornal Midiamax