Política

Vereador cita bloqueio de R$ 100 milhões, pede fim da taxa do lixo e gera bate boca

Vinícius vai entrar com ação para suspender cobrança

Ludyney Moura Publicado em 26/04/2018, às 11h32 - Atualizado às 15h25

None
Por Ludyney Moura e Richelieu Pereira

O clima na sessão desta quinta-feira (26) na Câmara da Capital ficou tenso depois que o vereador Vinícius Siqueira (DEM) usou a palavra para revelar que irá ingressar com uma ação civil pública pedindo a suspensão da cobrança da Taxa do Lixo, que ele alega que ‘sustenta um esquema criminoso’.

O democrata citou a decisão da Justiça que bloqueou R$ 100 milhões em bens de empresários e de políticos, como o ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB) e a deputada Antonieta Amorim (MDB), por suspeita de irregularidades na licitação e na execução dos serviços de coleta e tratamento de lixo, por parte da Solurb.

“Tudo isso prova que houve desvio de finalidade. A Justiça entende que houve irregularidade, inclusive com bloqueio milionário de bens”, declarou Vinícius, que declarou que os valores pagos pela Prefeitura a Solurb ‘ajudam a alimentar um esquema criminoso’.

O vereador citou denúncia do MP-MS (Ministério Público Estadual) e trechos da investigação da Polícia Federal que apontam indícios de que Nelsinho e Antonieta teriam adquiridos imóveis com dinheiro ilícito desviado do contrato com a Solurb’.

“Aprovamos uma taxa para bancar esse esquema de R$ 30 milhões, que está bancando compra de fazenda”, disparou Siqueira, que vai ingressar com uma ação civil pública pedindo a suspensão da cobrança da Taxa do Lixo.

A fala do vereador não repercutiu bem entre todos os seus pares. Delegado Wellington (PSDB), disse que Vinícius ‘abusou de sua fala’, uma vez quem em sua interpretação Siqueira teria dito que eles eram coniventes com suposto esquema criminoso. O tucano disse que o contrato foi firmado quando ele ainda não era parlamentar.

O líder do prefeito na Casa, vereador Chiquinho Telles (PSD), destacou que a Prefeitura sempre cobrou taxa do lixo, e que o atual Chefe do Executivo só quis dar mais transparência à cobrança. Ele chegou a sugerir, em sua fala, que Siqueira ‘seria garoto de recados de outras empresas interessados no assunto’.

O vereador Otávio Trad (PTB) defendeu o tio, o ex-prefeito Nelsinho Trad, e disse que faltou responsabilidade ao colega. “São indícios de culpabilidade o que está sendo investigado. Se hoje foi bloqueado bem, amanhã pode ser desbloqueado”, frisou. Ele ainda pediu ‘humildade’ para que Vinícius reconhecesse que errou em uma eventual nova fase, que garanta um possível desbloqueio.

Vinícius pediu à Mesa Diretora que não fosse incluído em seu pronunciamento a fala na qual acusou os colegas de ‘acobertar’ suposto esquema criminoso, mas prometeu ‘não medir esforços para suspender a taxa do lixo’.

Jornal Midiamax