Política

TJMS rejeita denúncia da Coffee Break contra Paulo Siufi

9 desembargadores já votaram pela rejeição

Aliny Mary Dias Publicado em 21/02/2018, às 20h29

None

9 desembargadores já votaram pela rejeição

Por maioria, desembargadores do Órgão Especial do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) rejeitaram, nesta quarta-feira (21), denúncia da Operação Coffee Break contra o ex-vereador e atualmente deputado estadual Paulo Siufi (MDB). Apesar da rejeição por maioria, o caso voltará a ser analisado no início do março em razão de pedido de vistas.

A denúncia feita pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) contra Siufi é resultado da Operação Coffee Break, desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) para apurar suposto esquema que culminou na cassação do ex-prefeito Alcides Bernal (PP), em 2013.

O desmembramento do caso e julgamento de Siufi no Órgão Especial se deu porque o ex-vereador assumiu cadeira na Assembleia Legislativa, que proporcionou a ele foro privilegiado.

Na sessão desta quarta-feira, dos 15 desembargadores que compõem o Órgão Especial, 13 estavam presentes. Destes, apenas 9 se declararam aptos a votar. Oito desembargadores rejeitaram a denúncia alegando que não há provas suficientes que comprovem conduta de culpa de Siufi.

TJMS rejeita denúncia da Coffee Break contra Paulo Siufi

Por isso, o caso voltará a ser colocado em pauta na primeira semana de março, quando Martins dará seu voto. Mesmo que ele acolha a denúncia, Siufi já terá sido absolvido no caso em razão da maioria de votos contrários ao recebimento do processo.  

Jornal Midiamax