Política

MDB admite aliança com PSDB, mas com vaga ao Senado e vice de André

Deputados revelam chapa pura na proporcional

Ludyney Moura Publicado em 20/03/2018, às 15h33

None

Deputados revelam chapa pura na proporcional

Membros da bancada do MDB na Assembleia Legislativa admitem uma eventual aliança com PSDB, para as eleições de outubro deste ano, mas deixam claro que a cabeça da chapa é do ex-governador André Puccinelli.

Para o deputado Paulo Siufi, a candidatura de Puccinelli e do senador Waldemir Moka já são consideradas ‘irreversíveis’ nas fileiras emedebistas. “Temos uma vaga para o Senado e a vaga de vice (de André)”, frisa o parlamentar. a

O líder da bancada na Assembleia, deputado Eduardo Rocha, alega que a eventual aliança com os tucanos para os candidatos nas proporcionais, já que ‘toda disputa gera um desgaste’. “Mas isso (coligação com PSDB) está cada vez mais difícil”, admite.

Rocha revela que o partido deve lançar uma chapa pura para disputa de cadeiras na Câmara dos Deputados, em Brasília, e cita o ex-prefeito de Corumbá, Eder Brambilla, o deputado estadual George Takimoto e o vereador Wilson Sami, como pré-candidatos a deputado federal pelo MDB.

A expecatitava, segundo Eduardo Rocha, é eleger ao menos um deputado federal e manter o número de deputados estaduais da atual legislatura, seis.

Siufi destaca que o partido mantém conversações com diversas siglas, sendo que algumas já disputam a vaga ao Senado e o espaço de vice de Puccinelli. “Tem partidos que as pessoas falam que jamais apoiariam o André e já estão (com apoio garantido), revelou.

O deputado, que assim como Rocha deve disputar a reeleição, anunciou ainda que o próprio ex-governador está conduzindo as tratativas com aliados, e aponta que alianças são possíveis, desde que todos tenham o mesmo desejo, ‘um MS maior e melhor’.

Jornal Midiamax