Política

Governo só negocia redução de ICMS com fim da greve de caminhoneiros, diz Mochi

  Durou cerca de uma hora a reunião entre deputados estaduais e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na governadoria e além dos detalhes do decreto de emergência, os parlamentares revelaram que uma eventual redução na alíquota de ICMS do diesel só será discutida com o fim da greve dos caminhoneiros. Os deputados do MDB, Junior […]

Ludyney Moura Publicado em 29/05/2018, às 13h26 - Atualizado em 08/06/2018, às 17h23

Fotos: Marcos Ermínio
Fotos: Marcos Ermínio - Fotos: Marcos Ermínio

Durou cerca de uma hora a reunião entre deputados estaduais e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na governadoria e além dos detalhes do decreto de emergência, os parlamentares revelaram que uma eventual redução na alíquota de ICMS do diesel só será discutida com o fim da greve dos caminhoneiros.

Os deputados do MDB, Junior Mochi, presidente da Assembleia, e Eduardo Rocha, líder do partido, deixaram o encontro com informação de que o tucano só aceita negociar reduzir o ICMS do óleo diesel de 17% para 12% com a ‘desmobilização’ dos caminhoneiros em greve.

Rocha destacou que o temor do governador é repetir o que aconteceu com o acordo feito pelo presidente Temer e representantes dos caminhoneiros, que mesmo diante do fato da União acatar os pontos propostos na pauta de discussão permaneceram parados, inclusive com alguns pontos de bloqueio de rodovias.

Queda na receita

Mochi afirmou que nas ultimas 72 horas somente dois caminhões que geraram ICMS entraram em Mato Grosso Sul. “A paralisação impacta a receita do Estado. Com certeza vai impactar repasse do duodécimo”, destacou o presidente da Assembleia.

O parlamentar afirmou que com o fim da greve e após um balanço da situação fiscal do Estado, os chefes dos poderes deverão sentar com o governo para negociar os repasses de duodécimo.

Na tarde desta terça-feira (29), o governador vai receber entidades do setor produtivo, como Fiems e Famasul, que já solicitaram redução da alíquota do diesel, para discutir a crise causada pela greve dos caminhoneiros.

Jornal Midiamax