Política

PMDB vai presidir comissão que vai sabatinar indicado de Temer para STF

Investigado, Edson Lobão vai presidir a CCJ  

Ludyney Moura Publicado em 09/02/2017, às 11h02

None
16203820522_e45b5b1836_k.jpg

Investigado, Edson Lobão vai presidir a CCJ  

O senador Edson Lobão (PMDB-MA) investigado em quatro inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) é o indicado do partido para assumir a presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. Caberá a ele comandar a sabatina a que será submetido o Alexandre Moraes, ministro licenciado de Justiça, indicado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para a vaga deixada por Teori Zavascki no Supremo.

De acordo com o Jornal O Globo, dois dos inquéritos que tem Lobão como alvo apuram a participação do maranhense no esquema do ‘Petrolão’, e os outros dois estão ligados às investigações de irregularidades e desvios na construção da hidrelétrica de Belo Monte (PA).

A diretoria da CCJ será instituída na manhã desta quinta-feira (9), e além de Lobão a sabatina de Moares terá participação de outros seis senadores indicados pelo líder do PMDB no Senado, o ex-presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), são eles Jader Barbalho (PMDB-PA), Eduardo Braga (PMDB-AM) Valdir Raupp (PMDB-RO), Marta Suplicy (PMDB-SP) e José Maranhão (PMDB-PB) e a sul-mato-grossense Simone Tebet.

O Jorna O Estado de São Paulo destacou a ligação dos senadores indicados por Renan, à exceção de Marta e Simone, com o ex-presidente José Sarney, que inclusive teria orientado a indicação de Lobão para a presidência da mais importante comissão da Casa.

O senador do Maranhão é alvo de investigação no mesmo inquérito em que figuram Renan e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Segundo a O Globo, a Polícia Federal já teria indícios de que Lobão, ex-ministro de Minas e Energia, teria acertado, nas eleições de 2014, propinas no valor de R$ 30 milhões com o presidente da construtora UTC, Ricardo Pessoa, um dos presos na Operação Lava Jato.

Jornal Midiamax