Política

Grupo de 150 pessoas grita “volta para a prisão” em frente a casa de Dirceu

Ex-ministro chegou na noite de quinta-feira em Brasília após ser solto

Joaquim Padilha Publicado em 05/05/2017, às 12h31

None
ze_dirceu.jpg

Ex-ministro chegou na noite de quinta-feira em Brasília após ser solto

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, liberado nesta quarta-feira (3) da prisão no Paraná chegou na noite desta quinta-feira (4) em Brasília, sendo recebido em sua casa por cerca de 150 manifestantes, entre moradores do bairro Sudoeste e integrantes do movimento Nas Ruas.

Os manifestantes demonstravam apoio à Operação Lava-Jato e se diziam contrários à libertação do ex-ministro, gritando palavras de ordem como “Dirceu Ladrão, volta pra prisão”, e “Fora Dirceu”.

O movimento também demonstrava insatisfação com a soltura do ex-ministro, autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), com gritos como “Supremo Tribunal, vergonha nacional”.

Carla Zambelli, porta-voz do Nas Ruas, disse que o movimento estava indignado com a soltura de Dirceu. “O Supremo tem uma série de processos parados. Por que soltar justamente um bandido reincidente?”, disse.

Um boneco inflável de 13 metros do ministro Ricardo Lewandovski foi levado até a frente do prédio de Dirceu. Lewandovski foi um dos ministros do STF que autorizou a soltura do ex-ministro, junto de Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Do lado de fora da casa do ex-ministro, cerca de 15 policiais militares faziam a proteção do prédio. Houve confronto com os manifestantes, e os militares usaram spray de pimenta para conter o movimento.

Um cinegrafista foi atingido diretamente por um jato disparado por um policial. O próprio José Dirceu teria sido atingido por respingo do spray, tendo de limpar os olhos na hora de descer do carro e entrar em sua residência com apoio dos policiais.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax