Política

Deputado atrasou volta para a prisão para poder votar a favor de Temer

Celso Jacob esperou votação acabar para retornar à Papuda

Joaquim Padilha Publicado em 04/08/2017, às 15h07

None

Celso Jacob esperou votação acabar para retornar à Papuda

O deputado federal Celso Jacob (PMDB), preso desde junho por sentença do STF (Supremo Tribunal Federal), “atrasou” sua volta ao presídio da Papuda, em Brasília, para poder contabilizar seu voto a favor do presidente Michel Temer (PMDB), na sessão de apreciação da denúncia contra o peemedebista na última quarta-feira (2).

Acontece que Jacob, condenado por crimes de falsificação de documentos e dispensa de licitação em obras quando era prefeito de Três Rios, no Rio de Janeiro, tem autorização para deixar a cadeia, mas deve retornar sempre às 18h30 para o presídio, enquanto responde em regime semi-aberto.

Na sessão de quarta, o deputado permaneceu na Câmara até pouco menos que as 22h, quando se encerrou a votação da denúncia contra o presidente. Isso porque há uma excessão para a regra do regime semi-aberto de Jacob.Deputado atrasou volta para a prisão para poder votar a favor de Temer

“Caso as sessões se estendam para o período noturno, essa circunstância deverá ser demonstrada pelo sentenciado ao estabelecimento prisional onde estiver recolhido, por ocasião de seu retorno para o pernoite”, determina a sentença do deputado.

O voto do deputado foi um dos 263 favoráveis a Temer, contra a denúncia de corrupção. Temer precisava de 171 votos para derrubar a denúncia na Câmara, enquanto a oposição precisava de 342 para que as acusações fossem levadas ao STF (Supremo Tribunal Federal).  

Jornal Midiamax