Política

Caso Teori: MPF abre investigação e pede áudio de diálogo entre piloto e torre de comando

Avião não tinha caixa preta

Jessica Benitez Publicado em 20/01/2017, às 14h18

None
corte.jpg

Avião não tinha caixa preta

Um dia após o acidente que mantou o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, o MPF (Ministério Público Federal) em Angra dos Reis instaurou inquérito civil para apurar as causas do ocorrido. Junto a outras quatro pessoas, o relator da Operação Lava Jato estava em avião que caiu no início da tarde dessa quinta-feira (19) no mar de Paraty (RJ).

A procuradora da República responsável pela apuração, Cristina Nascimento de Melo, já pediu à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e ao comando da Aeronáutica, documentos relativos à manutenção da aeronave, bem como gravações de conversa entre piloto e torre de controle.

Em atuação conjunta com a Polícia Federal, o MPF está colhendo provas testemunhais no local do acidente. De acordo com a FAB (Força Aérea Brasileira) não havia caixa preta no bimotor que estava com os certificados em dia. O registro de aeronavegabilidade valia até 2022, e o de inspeção de manutenção, até abril deste ano.

O avião que transportava o ministro decolou do Campo de Marte, na capital paulista, em direção à cidade de Paraty, no Rio de Janeiro. Além de Teori, morreram na queda o empresário Carlos Alberto Filgueiras, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maíra Panas e a mãe dela Maria Ilda Panas.

Jornal Midiamax