Política

Renato Câmara quer centralizar governo e cortar comissionados

Peemedebista minimizou preocupação com secretariado

Midiamax Publicado em 14/09/2016, às 11h30

None
renato_ok_ok.jpg

Peemedebista minimizou preocupação com secretariado

Sabatinado nesta terça-feira (13) na Aced (AssociaçãoComercial e Empresarial de Dourados), a 228 quilômetros de Campo Grande, o deputado estadualRenatoCâmara (PMDB) apresentou a entidades de classe e cooperativas locais suas propostas na disputa pelaprefeitura da segundamaiorcidade do Estado. Ao responder pergunta sobre o secretariado que pretende formar caso seja eleito, minimizou o questionamento, num sinal claro de que pretende centralizar seu eventual governo.

O postulante à sucessão de Murilo Zauith (PSB) teve 10 minutos para que apresentasse um resumo das propostas de governo e depois respondeu a oito perguntas feitas por representantes de 10 entidades locais, CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Cergrand, Copacentro, OAB, Sicred, Sindicato Rural, Sinpetro/MS, Uniodonto, Uniprime e Unimed. Ao final do evento, intitulado “Dourados Associativa: Eleições 2016”, ele recebeu uma carta de intenções do grupo.

Secretariado só depois

Questionado sobre a composição do secretariado caso seja eleito, Renato Câmara minimizou essa preocupação dos eleitores. “Temos visto que as pessoas se preocupam muito como secretariado. Precisamos nos preocupar mesmo com o prefeito que vai liderar todos os servidores públicos. Porque o secretário, se não tiver o planejamento estratégico na mão, vira uma secretaria tipo ilha, sem se comunicar com outras secretarias. Acaba tendo panelinhas de servidores que já estão há muito tempo na prefeitura”, afirmou.

Em seguida, o peemedebista reconheceu não ter ainda os nomes de quem vai ocupar as secretarias municipais caso vença a eleição. “Colocaremos pessoas que estarão à altura de cumprir essa missão de contribuir para Dourados alcançar índice de eficiência”, resumiu.

Cortar comissionados

Sobre o funcionalismo público, o candidato do PMDB à Prefeitura de Dourados garantiu que vai respeitar a lei aprovada este ano sobre o PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações). “É uma conquista de direitos e nós vamos efetivar. Seria uma afronta aos direitos dos funcionários nós recuarmos depois de dar um passo importante para a valorização dos funcionários do município”, pontuou.

O peemedebista destacou também que pretende “reduzir ao máximo os cargos comissionados”, aqueles ocupados por servidores que ingressam nos quadros do funcionalismo municipal por meio de nomeação, sem passar por concurso público.

Oito horas de trabalho

Outra questão apresentada pelas entidades que participaram do evento foi sobre o horário de atendimento nos órgãos municipais, atualmente restrita a meio período. “Necessário, importante e urgente: precisamos trabalhar oito horas por dia. A economia é tão pequena em relação ao transtorno na vida, principalmente da classe empresarial. No nosso mandato, nós vamos ter oito horas por dia e não ter o funcionamento dos órgãos públicos de um período corrido de seis horas”, assegurou.

Revitalização do centro

Para outra pergunta, sobre a revitalização do centro da cidade, Renato Câmara afirmou ser esse “um assunto polêmico que precisa ser enfrentado”. O candidato fala em “implantar modernidade sem trazer prejuízo insuportável para a classe empresarial”, refletindo sobre um maior fluxo de carros, no tamanho das calçadas e dos canteiros centrais.

Segundo o peemedebista, a prefeitura precisa organizar a cidade, implantando o engavetado Plano Municipal de Arborização e revendo o Plano Diretor, segundo ele já defasado por ter completado 10 anos. “Queremos fazer essa discussão, mas não de goela abaixo”, ponderou, indicando abertura para ouvir o empresariado através da Aced.

Fazer funcionar

Dentre as outras propostas apresentadas, Renato Câmara frisou que vai priorizar a saúde, principal queixa que ouviu da população quando promoveu a campanha “Participa Dourados”, ocasião em que afirma ter mantido contato com 20 mil pessoas em diferentes bairros de Dourados. “De cada dez pessoas, cinco falavam que a saúde é o principal problema”, revelou.

Saúde pública

Para atender essas demandas, defende fazer funcionar o que o município já tem. “Saúde pública não pode ser vista segmentada. Muitos casos acabam indo para os hospitais sendo que poderiam ser tratados na saúde básica”, disse, defendendo ampliar esse atendimento para desafogar, por exemplo, a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), que pretende criar na região do Grande Flórida.

“Temos que planejar o futuro, mas temos que atender o presente.  Não podemos ficar só esperando o Hospital Regional. Governo Federal já falou que vai ajudar, mas até sair do papel vai até 5 anos para começar a atender. Vamos colocar em funcionamento o que já existe, PAI [Pronto Atendimento Infantil]. Tendo atendimento no PAI nós vamos levar outros serviços para lá, Caps [centros de atenção psicossocial], Homeopatia. Levando para lá sobra o prédio da Homeopatia que pode ser um laboratório municipal no Centro Homeopático”, exemplificou.

Dourados Associativa

As propostas feitas pelo candidato do PMDB à prefeitura incluem a promoção de parcerias com universidades para fomentar o turismo local, apoio à economia solidária, aporte do poder público para capacitação profissional de trabalhadores locais, e a reorganização do transporte coletivo, entre outras.

O evento Dourados Associativa: Eleições 2016, já havia sabatinado o deputado federal Geraldo Resende na sexta-feira (9). Depois de Renato Câmara nesta terça, Wanderlei Carneiro (PP) participará na quarta-feira (14), que precede Délia Razuk (PR) no dia 21 e Ênio Ribeiro (PSOL) no dia 22. Todos os eventos têm início às 17h e uma hora de duração.

Jornal Midiamax