Política

Renan ignora substituto de Cunha e mantém votação do impeachment

Anúncio gerou confusão e sessão foi interrompida por dois minutos 

Midiamax Publicado em 09/05/2016, às 19h19

None
renan.jpg

Anúncio gerou confusão e sessão foi interrompida por dois minutos 

O presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou nesta tarde que vai manter a leitura e votação no plenário do relatório, já aprovado, que determina a abertura de processo de impeachment da presidente Dilma. O senador rejeitou a argumentação do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP), que determinou a anulação das sessões de votação na Câmara que aprovaram a abertura de processo.

"Aceitar essa brincadeira com a democracia seria ficar pessoalmente comprometido com o atraso do processo. Ao fim e ao cabo, não cabe ao presidente do Senado Federal dizer se o processo é justo ou injusto", disse o presidente do Senado. 

Com isso, Renan Calheiros determinou que o relator do processo na Comissão Especial do Impeachment do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), faça a leitura do seu relatório pela admissibilidade do processo no plenário da Casa. Após a leitura, começará a contar o prazo de 48 horas para que os senadores votem a admissibilidade e o afastamento imediato da presidenta, o que deve ocorrer na quarta-feira (11).

Renan ignora substituto de Cunha e mantém votação do impeachment

Diante do anúncio, vários senadores pediram a palavra para apresentar questões de ordem, gerando confusão no plenário, fato que resultou na interrupção da sessão por dois minutos.

O anúncio gerou confusão e o presidente decidiu por interromper a sessão por dois minutos. Assista ao vivo.

Jornal Midiamax