Política

Reinaldo acusa Bernal de ‘não sentar à mesa’ para discutir saúde na Capital

Governador disse que Estado ‘está fazendo sua parte’

Ludyney Moura Publicado em 08/08/2016, às 13h44

None
hospital-265-672x372.jpg

Governador disse que Estado ‘está fazendo sua parte’

Durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (8), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB)  acusou a gestão municipal do prefeito Alcides Bernal (PP) de não querer discutir a saúde na maior cidade do Estado, uma vez que o administração tucana já anunciou implantação de 60 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em todo Mato Grosso do Sul, metade na Capital.

“A prefeitura praticamente não senta à mesa para pactuar a saúde da Capital. Eles estão afastados da discussão”, disparou o governador.

Reinaldo anunciou 20 leitos no Hospital de Câncer Alfredo Abrão, dos quais oito já foram entregues, até começo de setembro, e outros 20 leitos, que seriam divididos entre Santa Casa e Hospital Universitário, ainda aguardam posicionamento da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

De acordo com o governador, a gestão pepista na Capital acionou a Justiça para regular leitos. “Mas, é uma questão que não vamos discutir, independente da prefeitura, abrimos leitos no Hospital de Câncer e vamos abrir mais até início de setembro. Estamos pactuando contratação de cirurgias eletivas em ortopedia pra diminuir a fila”, frisou Reinaldo.

Além dos leitos de UTI, Azambuja ainda afirmou que o governo estadual está tocando ‘duas obras vitais’ para Campo Grande, a conclusão do novo prédio do Hospital de Câncer e do Hospital do Trauma, prevista para ser entregue em 2017. “Vamos continuar a fazer o trabalho e apoiar a saúde pública da Capital”, finalizou. 

Jornal Midiamax