Política

PMDB adia decisão e mantém suspense sobre candidatura de Puccinelli

A reunião para esta definição estava prevista para esta quinta-feira

Midiamax Publicado em 30/06/2016, às 12h41

None
indice.jpeg

A reunião para esta definição estava prevista para esta quinta-feira

A reunião marcada para esta quinta-feira (30) no diretório estadual do PMDB, para que o ex-governador André Puccinelli desse a resposta se será ou não o pré-candidato da sigla, foi adiada. O motivo é que a maior liderança da legenda no Estado ainda não tem uma reposta e tem compromisso em quatro municípios para tratar sobre as eleições municipais.

A informação foi confirmada pelo presidente regional do partido, Junior Mochi. “O André me pediu para que não fizéssemos a reunião nesta quinta por que de fato ainda não tem uma definição ao nosso pedido. Estive com ele ontem e me disse que falta conversar com algumas pessoas e chegar a uma decisão definitiva”.

O representante estadual do PMDB, relatou também que Puccinelli em compromisso no interior nesta data e impossibilitaria a presença no encontro. “Além dele ainda não tem uma resposta concreta, como ele está cuidando das articulações do interior, ele foi para Dourados, Coronel Sapucaia, Ponta Porã e outro município que não me lembro o nome e deve chegar só no período período da noite”.

Mochi destacou que não há data prevista para esta reunião. “Não deixamos nenhuma data marcada para que ocorra esta reunião, mas isso deve ocorrer nos primeiros dia de julho. Precisamos desta definição o quanto antes”.

À espera

Em entrevista anterior, Junior Mochi havia dito que caso André Puccinelli não aceite ser o nome do PMDB, o partido pode ficar sem candidato e buscar coligações. “Realmente estamos a espera do André, pois ele possui todas as qualidades e aglutina todas as pessoas que precismos para esta disputa, além de ser competitivo. De fato, se ele por um acaso não aceitar é bem provável que iremos buscar alianças”.

De qualquer forma, pra mim tem grandes chances deles aceitar, na minha opinião “Antes ele dizia que não iria ser candidato e hoje já tem essa possibilidade em que ele esta analisando, ou seja, já estamos no lucro. É uma decisão difícil realmente, que a família é a primeira a ser envolvida e deve apoiar o que decidido. Ele me disse na semana passada que sua família estava resistindo ao convite, mas que ele estava conversando”.

Jornal Midiamax