Política

Mochi define que ALMS não terá ‘expediente menor’ durante a campanha

Deputado peemedebista havia solicitado mudança

Ludyney Moura Publicado em 10/08/2016, às 15h29

None
01chileno.jpg

Deputado peemedebista havia solicitado mudança

A Assembleia Legislativa do Estado não sofrerá alteração de horário de funcionamento durante a campanha eleitoral de 2016, como havia sido sugerido pelos deputados Eduardo Rocha (PMDB) e combatida pela bancada petista.

O presidente da Casa, deputado Junior Mochi (PMDB), descartou a possibilidade durante a sessão desta quarta-feira (10). Segundo ele, uma instrução normativa de julho de 2015 permite a cada parlamentar definir o horário de funcionamento de seu gabinete.

“Cada deputado tem opção de definir quem vai trabalhar 6 horas pela manhã e 6 horas a tarde, e informar isso à Mesa Diretora. O gabinete não pode fechar”, explicou Mochi.

Rocha havia proposta na semana passada que a Casa funcionasse das 7h30 às 13h30, liberando servidores para fazer campanha no período vespertino, desde que não fossem remunerados pela Assembleia para o trabalho eleitoreiro.

‘Não tem lógica isso daí, mesmo que eleição fosse estadual não deveria ter isso de meio período. Cada um que se organize e dê seus pulos”, rebateu o líder da bancada petista, deputado Amarildo Cruz.

Alguns deputado, como Cabo Almi (PT), via na alternativa um modo de evitar que servidores da Casa trabalhassem em campanha durante horário em que deveria estar à serviço do gabinete parlamentar. 

Jornal Midiamax