Política

Luíza apresenta defesa na ação em que é alvo de Puccinelli

Ex-governador alega ser vítima de calúnia

Jessica Benitez Publicado em 28/06/2016, às 19h54

None
luiza.jpg

Ex-governador alega ser vítima de calúnia

A defesa da vereadora Luíza Ribeiro (PPS) pediu que seja rejeitada ação movida contra ela pelo ex-governador do Estado, André Puccinelli (PMDB). O peemedebista ingressou queixa-crime alegando ter sido caluniado pela legisladora que o citou em depoimento à força-tarefa da Operação Lama Asfáltica.

Para ele o conteúdo é calunioso e difamatório porque o acusa de ter orquestrado cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em março de 2014 e afirma que políticos e empresários criaram suposto esquema de corrupção que teria se iniciado na primeira gestão do então prefeito André Puccinelli.

A defesa da vereadora, porém, alega que a intenção não foi de difamar o peemedebista, “muito pelo contrário (…) narrou ao Ministério Público aquilo que já havia ouvido no exercício de sua atividade parlamentar”. Portanto, não cabe punição.

Além disso, sustenta que Luíza deixou claro que não tinha provas do que foi afirmado e ela mesma “levantou a bandeira da dúvida sobre as informações prestadas, cumprindo apenas seu dever c om a verdade em dizer o que já havia escutado deveria ser sigiloso”. O depoimento da vereadora, feito em outubro do ano passado, acabou sendo divulgado na internet.

A defesa ressalta, ainda, a imunidade parlamentar. “No que tange ao referido assunto são inerentes ao ofício legislativo parlamentar, como representante direta do povo, e portanto abrigadas pela imunidade parlamentar que lhe é de direito”.

Jornal Midiamax