Política

Líderes partidários que apoiam o impeachment criticam decisão de Waldir Maranhão

"Decisão absolutamente estapafúrdia'

Diego Alves Publicado em 10/05/2016, às 00h09

None
waldir_maranhao003_26022015-5496-kooc-u20210675404zbc-1024x682gp-web.jpg

"Decisão absolutamente estapafúrdia'

Líderes de partidos que apoiaram a abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados afirmaram que não reconhecem a legitimidade da decisão do presidente da Casa, Waldir Maranhão, Maranhão (PP-MA) de acatar parte do recurso da Advocacia-Geral da União para anular a votação da admissibilidade do processo.

“Trata-se de decisão absolutamente estapafúrdia, ilegal, abusiva e teratológica. Foi um desrespeito à decisão do plenário da Câmara, que, por mais de dois terços de seus membros, autorizou a abertura do processo de impeachment contra a presidente da República”, diz trecho de nota à imprensa assinada por líderes de 14 partidos, dentre eles: PMDB, PP, DEM, PSDB, PTB, Solidariedade, PHS, PSB, PSD, PPS e PRB.

Os líderes partidários argumentaram que os questionamentos da AGU não tinham previsão legal e que cuidou de questões que já haviam sido superadas com a instalação da comissão especial do Senado criada para analisar o processo de impeachment. “Essa decisão demonstra uma tentativa vã do governo de interferir em assuntos internos do legislativo, buscando desesperadamente a anulação de um ato legítimo da Câmara”, diz a nota.

Jornal Midiamax