Política

Justiça proíbe propaganda que acusou Rose de não ajudar professores

‘Ela já teve oportunidade e não fez’, dizia programa de candidato do PSC

Ludyney Moura Publicado em 09/09/2016, às 12h21

None
print1_coronel_david_e_rose.jpg

‘Ela já teve oportunidade e não fez’, dizia programa de candidato do PSC

Em uma de suas propagandas gratuitas para Rádio e TV o candidato a prefeito pelo PSC, deputado estadual Coronel David, acusou a sua adversária tucana, a vice-governadora Rose Modesto, de não ter cumprido com políticas de valorização de professores. A Justiça Eleitoral proibiu a veiculação desse material.

“Rose e seu partido indicaram secretária de educação (municipal) em 2014. Agora, em seu plano de governo, ela admite que em 2014 não foi cumprido o piso salarial e não houve política de valorização dos professores. Ela já teve oportunidade de fazer e não fez”, diz parte da propaganda.

A defesa da candidatada do PSDB entrou com uma representação na Justiça Eleitoral alegando que Rose não tinha atribuições do ‘Chefe do Poder Executivo Municipal’, a quem caberia cumprir o piso e executar tais políticas.

“Será que dá para acreditar que agora ela vai fazer alguma coisa pela educação”, finaliza o vídeo. “Essa á diferença entre nós: eu vou fazer”, completa Coronel David.

Para os advogados da vice-governadora a veiculação de tal propaganda eleitoral, com ‘afirmações inverídicas’ poderiam prejudicá-la. A solicitação foi acatada pela justiça.

“Intimem-se, ainda, as emissoras de rádio e TV geradoras do sinal de propaganda eleitoral gratuita para que se abstenham de veicular a propaganda eleitoral indicada na inicial”, determinou a juíza eleitoral Eucélia Moreira Cassal, da 8ª Zona Eleitoral.

A decisão, publicada na noite desta quinta-feira (8), também prazo de 24 horas para que os representados, David e sua coligação, apresentem defesa.

David assumiu uma cadeira na Assembleia Legislativa depois que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nomeou o deputado estadual José Carlos Barbosa, o Barbosinha (PSB), para a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

Jornal Midiamax